Altino Bessa e a “polémica absurda” do Jardim Brasil: “A atribuição do nome é da minha autoria”

Vereador lembra que Braga também tem monumento de homenagem à comunidade ucraniana e que nunca gerou polémica
Foto: Facebook de Altino Bessa

O vereador Altino Bessa comentou hoje a polémica em torno do anunciado ‘Jardim Brasil’, de homenagem à comunidade brasileira em Braga, salientando que foi ele próprio quem escolheu o nome e que a cidade já tem, desde 2014, um monumento de homenagem à comunidade ucraniana, o que nunca levantou qualquer polémica.

“Ainda a propósito da polémica absurda e sem sentindo que se levantou pelo facto de se atribuir o nome ‘Jardim Brasil’ a uma área de 2.500m2 que se está a reabilitar para jardim, que será usufruído por toda a comunidade bracarense. Quero que saibam que a atribuição do nome é da minha autoria, não precisam por isso de criticarem o presidente da Câmara por esse facto”, afirma o vereador do Ambiente.

Altino Bessa lembra, ainda, que “existe um Monumento, desde 2014, de homenagem ao Povo Ucraniano e a toda a comunidade Ucraniana em Braga”, não lhe parecendo que, desde então, “alguém se sentisse inibido de usufruir do Parque da Ponte ou de achar que aquele espaço ficou com reserva de usufruto exclusivo para a comunidade ucraniana”.

“Homenagear os povos e as comunidades, fora do seu próprio país, é uma prática comum, somos um povo de emigrantes que felizmente temos sido homenageado nos quatro cantos do mundo”, conclui o vereador.

Como O MINHO noticiou, o Jardim Brasil, de “homenagem à comunidade brasileira” residente em Braga, já está a ganhar forma na rua Dr. José António Cruz, em São Victor.

“Em homenagem à comunidade brasileira, estamos a construir o ‘Jardim Brasil’. Tal como prometido, estamos a recuperar um espaço verde, com 2.500m2 na Rua Dr. José António Cruz. Terá um parque canino, zona verde e de lazer”, anunciou ontem Altino Bessa, numa publicação na sua página de Facebook.

Em 2022, Altino Bessa já tinha adiantado a O MINHO que a ideia surgiu depois de um empresário bracarense, com origem brasileira, ter-se mostrado disponível a oferecer entre 30 a 40 árvores tipicamente daquele país sul-americano, com destino a um novo jardim.

“Temos feito o aproveitamento dos espaços públicos existentes para valorizar os espaços e torná-los de usufruto e de fruição da própria população, quer com a criação de passadiços, quer com a plantação de árvores”, contextualizou, na altura, o vereador.

“O construtor tem empresa ali à volta, também é brasileiro, e decidiu oferecer as  árvores. Como há cá uma comunidade grande de brasileiros, conseguiu-se conciliar o espaço com referência ao ‘Jardim Brasil’ [será este o nome do parque], onde será colocada relva e passadiços para as pessoas caminharem e, ao mesmo tempo, contemplarem as árvores”, acrescentou.

No entanto, o anúncio, ontem, de que a obra já estava a ser concretizada gerou muitas reações negativas nas redes sociais, levando mesmo o presidente da Câmara, Ricardo Rio, a lamentar comentários xenófobos tanto contra a criação do “Jardim Brasil” como da celebração das Festas Juninas.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Selecionador de râguebi lembra que não há “nada mais difícil” do que a África do Sul

Próximo Artigo

Roubam 3 toneladas de cebola em Esposende

Artigos Relacionados
x