Seguir o O MINHO

Guerra na Ucrânia

Alemanha fornece à Ucrânia mais quatro veículos de artilharia

Guerra

em

Foto: DR / Arquivo

O Ministério da Defesa alemão informou hoje que vai fornecer à Ucrânia mais quatro veículos de artilharia do tipo ‘Panzerhaubitze 2.000’, além dos 18 já entregues, num programa conjunto com os Países Baixos.

O Exército alemão vai enviar esses sistemas de artilharia apesar de os ‘stocks’ se encontrarem em situação “preocupante”, indicou o ministério, citado em comunicado.

“O valor de combate dos ‘Panzerhaubitze 2.000’ facultados pela Alemanha e Países Baixos foi mais do que comprovado”, disse a ministra da Defesa alemã, Christine Lambrecht, acrescentando que Kyiv expressou o desejo de receber mais destes sistemas de artilharia de elevada mobilidade.

A Alemanha vai responder a este pedido “para continuar a apoiar a Ucrânia na sua corajosa luta contra a brutal agressão russa”, enfatizou Lambrecht, elevando para 14 o número total de veículos de artilharia doados por Berlim diretamente, sem contar com os cedidos ao abrigo do programa conjunto com os Países Baixos.

Até agora, o Govero alemão também já forneceu a Kyiv, entre outros, 24 viaturas antiaéreas do tipo GEPARD, 500 mísseis antiaéreos Stinger e 2.700 lançadores múltiplos de foguetes antiaéreos STRELA.

A ofensiva militar lançada a 24 de fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de mais de 13 milhões de pessoas — mais de seis milhões de deslocados internos e mais de 7,2 milhões para os países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A invasão russa — justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de “desnazificar” e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia – foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

A ONU apresentou como confirmados desde o início da guerra 5.916 civis mortos e 8.616 feridos, sublinhando que estes números estão muito aquém dos reais.

Populares