Seguir o O MINHO

Alto Minho

Águas do Alto Minho iniciou reabertura dos postos de atendimento a consumidores

Em Viana do Castelo, Arcos de Valdevez e Ponte de Lima

em

Foto: DR / Arquivo

A Águas do Alto Minho iniciou hoje em Viana do Castelo, Arcos de Valdevez e Ponte de Lima a reabertura dos postos de atendimento aos consumidores, processo que estará concluído até quinta-feira, disse à Lusa fonte da empresa.

De acordo com a mesma fonte, na quarta-feira reabrirão os postos de atendimento de Caminha e Vila Praia de Âncora e, na quinta-feira, os de Paredes de Coura, Vila Nova de Cerveira e Valença.

O encerramento dos oito postos de atendimento da empresa naqueles concelhos do distrito de Viana do Castelo ocorreu dia 16 de março devido à pandemia de covid-19.

A AdAM é detida em 51% pela Águas de Portugal (AdP) e em 49% por sete municípios do distrito de Viana do Castelo (Arcos de Valdevez (PSD), Caminha (PS), Paredes de Coura (PS), Ponte de Lima (CDS-PP), Valença (PSD), Viana do Castelo (PS) e Vila Nova de Cerveira (Movimento independente PenCe – Pensar Cerveira), que compõem a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho.

Três concelhos do distrito – Ponte da Barca (PSD), Monção (PSD) e Melgaço (PS) – reprovaram a constituição daquela parceria.

A nova empresa começou a operar em janeiro, “dimensionada para fornecer mais de nove milhões de metros cúbicos de água potável, por ano, a cerca de 107 mil clientes e para recolher e tratar mais de seis milhões de metros cúbicos de água residual, por ano, a cerca de 70 mil clientes”.

Na semana passada, o presidente do conselho de administração da Águas do Alto Minho tinha anunciado que “uma autorização especial” do ministro do Ambiente, iria permitir “abrir, a título excecional”, a partir de hoje, “as lojas de atendimento presencial aos clientes, devidamente equipadas com material de proteção de funcionários e clientes”.

Carlos Martins explicou que reabertura dos postos está incluída no plano de ação delineado com os municípios para reforçar a comunicação com os clientes, prejudicada pelo seu encerramento, o que levou “as pessoas a recorrerem muito aos contactos telefónicos, que não estavam dimensionados para uma situação desta natureza, e aos emails, através do correio eletrónico”.

Com “o apoio dos municípios, em particular o de Viana do Castelo, serão mobilizados mais recursos humanos”, e “adquiridos equipamentos telefónicos, para, ainda esta semana, reforçar o atendimento telefónico”, bem como a resposta “aos dois mil emails acumulados no correio eletrónico da empresa”.

Na altura, anunciou a adjudicação de um serviço de ?call center’ que irá operar com oito postos de atendimento telefónico.

Já “a empresa que fornece os serviços telefónicos irá enviar uma listagem dos números de telefone que não forem atendidos durante o período normal desse serviço, para que nas 48 horas seguintes esses clientes sejam contactados pela empresa”.

Carlos Martins apontou para o final de maio a correção dos erros de faturação que afetaram 15 mil consumidores da empresa, garantindo que “ninguém sairá prejudicado” e que “a fatura de março só será emitida quando estiverem resolvidos os problemas que acabaram por estar na origem daqueles erros.

Portugal contabiliza 948 mortos associados à covid-19 em 24.322 casos confirmados de infeção, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia divulgado hoje.

Relativamente ao dia anterior, há mais 20 mortos (+2,2%) e mais 295 casos de infeção (+1,2%).

Populares