Redes Sociais

Guimarães

Agente da PSP reclama absolvição em caso de agressões a adeptos do Benfica em Guimarães

a

O subcomissário Filipe Silva e o seu advogado Ricardo Serrano Vieira. Foto: O MINHO

O subcomissário da PSP Filipe Silva recorreu para o Tribunal da Relação de Guimarães, pedindo a absolvição de todos os crimes por que foi condenado num processo relacionado com agressões a dois adeptos do Benfica.

No recurso, a que a Lusa hoje teve acesso, o advogado Ricardo Serrano Vieira alega que o subcomissário agiu segundo as normas de execução permanente e a sua atuação foi “proporcional, necessária e adequada”.

Em junho, o Tribunal Judicial de Guimarães condenou Filipe Silva a três anos de prisão, com pena suspensa, por dois crimes de ofensa à integridade física qualificada, relativos às agressões, e dois crimes de falsificação de documento e dois crimes de denegação de justiça e prevaricação, por alegadamente ter feito constar factualidade falsa no auto de notícia.

O arguido foi ainda condenado a pagar, em conjunto com o Estado, uma indemnização de 7.000 euros às vítimas, pai e filho, por danos não patrimoniais.

Para a condenação, o tribunal teve em conta o “elevado” grau de ilicitude da atuação do arguido, as lesões que provocou às vítimas, as elevadas exigências de prevenção geral em relação ao crime de ofensas à integridade física e o facto de o arguido não ter manifestado arrependimento.

Os factos remontam a 17 de maio de 2015, logo após o final do jogo entre o Vitória Sport Club e o Sport Lisboa e Benfica, no exterior do Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

No recurso interposto para a Relação, a defesa de Filipe Silva alega que o adepto filho injuriou o subcomissário e resistiu a várias tentativas de detenção, pelo que o arguido teve necessidade de desferir “impactos” com os bastões que detinha, para o imobilizar.

O recurso refere ainda que o adepto pai agarrou Filipe Silva pelas costas, rasgando-lhe o uniforme e provocando-lhe escoriações na zona das axilas, pelo que o arguido lhe desferiu dois socos para se libertar do “ataque”, num quadro de “legítima defesa”.

Sublinha que os dois adeptos tiveram um comportamento “ofensivo e ilícito, sempre em crescendo” e que o subcomissário sentiu “forte receio e pânico”, chegando a temer pela própria vida, já que nas imediações estavam cerca de 5.000 adeptos e se registava “um clima de clara confrontação com as autoridades”.

Na primeira instância, o tribunal considerou que, em ambos os casos, o arguido utilizou “de forma excessiva” os meios coercivos de que dispunha, “no âmbito dos poderes funcionais que lhe foram legalmente conferidos para o exercício da função policial”.

Agiu, assim, “com grave abuso de autoridade, valendo-se da posição superior de autoridade em que estava investido para consumar a agressão, bem sabendo da especial censurabilidade da sua conduta”.

Os dois adeptos negaram as injúrias, tendo o filho garantido que apenas gesticulou, face à situação complicada que se estaria a viver no interior do estádio, onde os adeptos do Benfica ficaram retidos no final do jogo, num dia de “extremo calor” e de “muita confusão”.

O pai negou igualmente que tivesse tocado ou agarrado Filipe Silva.

“Vi o meu filho levar porrada de qualquer maneira e feitio, ia ajudar a ver se ele se livrava daquilo e também levei”, contou.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Guimarães

Câmara de Guimarães e UMinho criam projeto para “combater escassez de alojamento”

Iniciativa envolve o setor privado.

Publicado

a

A câmara de Guimarães e a Universidade do Minho desenvolveram um “projeto inovador” para “combater a escassez de alojamento” para os estudantes universitários deslocados, envolvendo o setor privado, anunciou hoje a autarquia.

Em comunicado enviado à Lusa, o município explica que o “Guimarães Anfitriã” pretender, numa primeira fase, “efetuar o levantamento da disponibilidade de alojamento no território concelhio apelando à participação dos munícipes e, ou, empresas para procederem ao registo da sua oferta de alojamento por forma a definir o seu posterior mapeamento”.

Numa fase posterior, refere o texto, será feito o processo de certificação dos espaços por equipas técnicas da autarquia e da academia, sendo que concluído este processo ficará disponível aos estudantes a escolha de uma maior oferta de alojamento universitário.

“Estamos a criar uma oportunidade de envolver o setor privado neste projeto, na medida em que a escassez de alojamento para os jovens que vêm estudar para a Universidade do Minho deve ter várias soluções”, refere o presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança.

Segundo o autarca, o objetivo passa por “criar uma oportunidade de envolver o setor privado neste projeto, na medida em que a escassez de alojamento para os jovens que vêm estudar para a Universidade do Minho deve ter várias soluções”.

No texto, a autarquia lembra ainda que já foi feito um pedido ao Ministério das Finanças para a cedência do edifício da antiga Escola de Santa Luzia no sentido de proceder à respetiva reabilitação para um espaço de residência universitária, constituindo-se assim também como “uma parte da solução”.

Os interessados no “Guimarães Anfitriã” podem preencher o formulário de adesão através do sítio do Município de Guimarães (http://www.cm-guimaraes.pt/p/guimaraes_anfitria) ou no Balcão Único de Atendimento, na Câmara Municipal de Guimarães.

Continuar a ler

Guimarães

Octogenário encontrado vivo

Idoso de 85 anos.

Publicado

a

O octogenário que estava desaparecido há cerca de um dia e meio da sua residência, no lugar de Calvos, da freguesia de Serzedelo, em Guimarães, foi já encontrado, com vida, durante esta manhã de terça-feira, naquela zona do Vale do Ave.

Armindo Rodrigues, de 85 anos, foi encaminhado para o Hospital de Nossa Senhora da Oliveira, em Guimarães, depois de encontrado, às 09:30, segundo informou a O MINHO o comandante dos Bombeiros Voluntários de Riba de Ave, Luís Abreu.

O octogenário não era visto desde a noite de domingo para segunda-feira, tendo sido logo ativamente procurado pelos Bombeiros Voluntários de Riba de Ave, com o auxílio de outras forças de socorro e de populares, entre os quais os seus familiares mais diretos.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Guimarães

Octogenário desaparecido há quase 24 horas

Não é visto desde a noite de domingo para segunda-feira.

Publicado

a

Um octogenário encontra-se desaparecido há quase 24 horas, da sua residência, no lugar de Calvos, da freguesia de Serzedelo, em Guimarães, estando a ser ativamente procurado pelos Bombeiros Voluntários de Riba de Ave, com o auxílio de outras forças de socorro.

Armindo Rodrigues, de 85 anos, não é visto desde a noite de domingo para segunda-feira.

O homem, que segundo revelaram os familiares, tem alguns problemas de demência, está desaparecido desde a madrugada desta segunda-feira, da sua residência, em Serzedelo, tendo começado por ser procurado pela família, mas face às tentativas infrutíferas, foram acionados cada vez mais meios, estando já ao princípio da noite desta segunda-feira um total 16 operacionais com oito viaturas envolvidos nas buscas, além de alguns populares.

Continuar a ler

Populares