Seguir o O MINHO

Desporto

Aficionados de Braga em peso na Rampa de Boticas para ver ‘eternos rivais’ Faggioli e Merli

Automobilismo

em

Merli e Faggioli. Foto: O MINHO

Um grande número de aficionados das provas de automobilismo de montanha oriundo de Braga está a instalar-se já na vila de Boticas, distrito de Vila Real, para ver competir os eternos rivais italianos, Faggioli e Merli, na Rampa Internacional de Boticas, a primeira prova do Campeonato da Europa de Montanha, segunda ronda do Campeonato de Portugal de Montanha JC Group, este fim de semana.

Christian Merli (Osella FA 30) e Simone Faggioli (Norma M20 FC), as grandes figuras das últimas temporadas do Campeonato da Europa de Montanha, são as cabeças de cartaz da Rampa Internacional de Boticas, que marca o regresso ao ativo desta velha competição, com 68 anos de existência, que foi cancelada, em 2020, devido à pandemia da covid-19.

A Rampa Internacional de Boticas regista um total de 63 inscritos, entre os quais há já 18 pilotos estrangeiros, num plantel em que se destacam os italianos Christian Merli (Osella FA 30) e Simone Faggioli (Norma M20 FC), os grandes dominadores das últimas edições do Europeu de Montanha, mas também José Correia (Osella PA2000 Evo 2), o campeão nacional absoluto de montanha em título, que é único português a competir da Divisão 2.

Mas de Itália vem outro “peso pesado”, Diego Dega Degasperi, a pilotar um Osella FA30, ele que ostenta o logotipo Portugal HillClimb Fans, grupo de fãs liderado por Rui Ramoa, embora no Minho seja mais conhecido, que aquele italiano, o francês Sebastien Petit, que em Braga, na última edição da Rampa da Falperra, sofreu um aparatoso despiste, ao qual escapou ileso, antes de chegar à famigerada “Curva da Morte”, ao partir a asa da barqueta, estreando agora em Boticas a nova, NP01-2 enquanto o carismático Fausto Bormolini, o italiano, faz-se acompanhar de Renzo Napione nos dois Fórmulas Reynard 3000IT e de Espanha vêm concorrer 2 BRC BR53 +3000, com Javier Villa e Jose González Cabrera.

Habituados a verem digladiar-se às frações de segundo nas subidas da Rampa da Falperra, em Braga, a par de muitos espanhóis, principalmente da Galiza, muitos bracarenses estão já a demandar até Boticas, para verem de perto os dois campeões italianos, mas também é aguardada a presença de pilotos minhotos e trasmontanos, que estiveram, entre 12 e 14 de outubro de 2018, em Gubbio, a comuna italiana da região de Umbria, na Província de Perugia, a disputar a melhor média dos tempos cronometrados em montanha, como são os casos de José Correia, Sérgio Nogueira e Pedro Marques, mas estão outros bracarenses, como Daniela Marques, Paulo Silva, Daniel Vilaça, Manuel Rocha e Sousa e Carlos Silva.

José Correia. Foto: O MINHO

A prova deste fim de semana será também a de estreia desta prova transmontana no calendário internacional da especialidade automobilística de montanha, sob a liderança da Câmara Municipal de Boticas e do Demoporto, o Clube de Desportos Motorizados do Porto, cujos principais responsáveis, Carlos Cruz e Nuno Cruz, estiveram já em Gubbio, no outono de 2018, a preparar-se para este encontro, com a experiência colhida em Itália.

Os entusiastas do desporto automóvel e particularmente das provas de montanha poderão seguir em direto, sábado e domingo, as incidências da Rampa Internacional de Boticas, a prova de abertura do Campeonato da Europa de Montanha e segunda do Campeonato de Portugal de Montanha JC Group, em live streaming quer no Facebook quer no Youtube.

Merli otimista quanto ao duelo com Faggioli

Depois de um ano consecutivo sem Campeonato Europeu de Montanha, Christian Merli e Simone Faggioli estão ansiosos por uma boa estreia, em Boticas, já que em 2020 apenas puderam competir no campeonato italiano, mas mesmo assim, sempre sem público, como disse a O MINHO Christian Merli, acompanhado pelo rival, mas amigo, Simone Faggioli.

Merli. Foto: O MINHO

Merli afirmou “ter sido uma sorte para todos nós a federação italiana, através de um rígido protocolo de segurança, ter conseguido organizar um campeonato, com seis provas, ainda que à porta fechada, isto é, sem espetadores, permitiu que não ficássemos parados, só que senti muito a falta do Europeu, que agora já está de volta, com a Rampa aqui, em Boticas”.

Merli destaca a espetacularidade do traçado da Rampa Internacional de Boticas, referindo “ser veloz e muito técnico”, ao mesmo tempo que enaltece “todo o excelente trabalho de segurança efetuado pela organização”, sendo que quando questionado sobre o previsível duelo com Faggioli na luta pela vitória naquela prova de abertura do Europeu, afirma “ser provável que eu e ele, o Faggioli, sejamos os favoritos, claro que espero ser eu a vencer, mas há outros pilotos que podem surpreender, com a vantagem que sendo esta a primeira corrida do ano, dará para ver o nível em que cada um se situa, para as próximas Rampas”.

Faggioli confiante na adaptação do seu carro

Já Simone Faggioli destaca “dar-me uma grande sensação de liberdade poder estar aqui, em Portugal, sabendo que esta época, no Europeu, não vai ser fácil, pois ainda há muito receio e não existe a tranquilidade de outros tempos, mas “já fiz este ano uma prova em Itália, tipo treino, e o carro pareceu-me muito bem, creio que se poderá repetir o mesmo duelo de sempre com o Merli, vamos a ver”, revelando que o seu carro foi alvo de algumas evoluções no Inverno e por isso acredita ter encontrado um bom equilíbrio na “barqueta”.

Faggioli. Foto: O MINHO

“Considero a Rampa de Boticas muito bonita e segura, o que é muito importante para nós, declarou Simone Faggioli, salientando a O MINHO “gostar muito de correr em Portugal”.

Populares