Seguir o O MINHO

Desporto

Adiamento de Mundiais de piscina curta não é surpresa, diz selecionador nacional

Covid-19

em

Foto: Divulgação / FP Natação (Arquivo)

O selecionador nacional de natação pura, José Machado, disse hoje que ainda tinha uma “expectativa” que os mundiais em piscina curta, marcados para dezembro, pudessem ser viáveis, mas a decisão de os adiar “não é uma surpresa”.


“Não posso dizer que não estava à espera desta decisão, mas tínhamos uma expectativa que ainda fosse viável. De qualquer forma, não havia dados concretos de que a situação [pandemia covid-19] fosse melhor em dezembro e que a competição pudesse decorrer e, por isso, não é uma surpresa”, disse, em declarações à agência Lusa.

São seis os nadadores portugueses que vão agora esperar por dezembro de 2021 para participar nesta competição: Aléxis Santos, José Lopes, Victoria Kaminskaya, Tamila Holub, Diana Durães e Ana Catarina Monteiro.

Segundo o responsável, como os Mundiais “foram adiados para uma altura em que já estavam marcadas outras competições, nomeadamente os Europeus em piscina curta”, o mais provável é que estes últimos sejam cancelados ou adiados.

“O horizonte das grandes competições internacionais passa a ser maio de 2021 porque foram adiados os campeonatos da Europa que deveriam estar agora a decorrer”, explicou.

José Machado revelou que, na quarta-feira, houve uma reunião da comissão técnica da Federação Portuguesa de Natação e “tinha ficado praticamente estabelecido antecipar os nacionais e criar uma competição com duas zonas, uma a Norte e a outra a Sul”, a ter lugar em novembro.

Num momento de “incerteza” para a modalidade, a perspetiva era “não sobrecarregar os clubes do ponto de vista económico”, dar competição aos nadadores e permitir ainda, a alguns atletas, obter os mínimos para os mundiais de dezembro.

“Infelizmente, não vai haver mundiais, mas a ideia ainda pode ir para a frente, vamos ver e estudar com os novos dados para ver se, ainda este ano, os campeonatos de clubes, sobretudo os da I divisão, podem ficar fechados”, disse.

José Machado acrescentou que, “se isto não for possível, a ideia é cancelar o que resta desta época e seguirmos o calendário definido caso a caso”.

Os Mundiais de natação em piscina curta, previstos para dezembro em Abu Dhabi, foram adiados para dezembro de 2021, no mesmo local, devido à pandemia de covid-19.

As autoridades dos Emirados Árabes Unidos solicitaram à Federação Internacional de Natação (FINA) o adiamento dos Mundiais, com a saúde e a segurança dos atletas a estar na base da decisão.

Após a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas de quase todas as modalidades foram disputadas sem público, adiadas – Jogos Olímpicos Tóquio2020, Euro2020 e Copa América -, suspensas, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais, ou mesmo canceladas.

Anúncio

Desporto

Governo diz “sim” ao público no MotoGP no Algarve, mas sem repetir ‘erros’ da Fórmula 1

Covid-19

em

Foto: Redes sociais

O secretário de Estado do Desporto defendeu hoje ser preciso começar a trabalhar para garantir a presença de público em melhores condições sanitárias do que as verificadas na Fórmula 1 durante a etapa do MotoGP, que vai decorrer no autódromo do Algarve.

“A apreciação generalizada que tem sido feita, e que no fundo não é muito positiva”, sobre a presença de público no Grande Prémio de Portugal em Fórmula 1, que decorreu no Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão, demonstra, segundo João Paulo Rebelo, a necessidade de “uma melhoria” para permitir espetadores no MotoGP, a realizar no mesmo local.

Para o governante, trata-se de “uma prova muito especial” a que muitos portugueses quererão assistir “ao vivo e a cores”, dado o interesse em acompanhar a prova do português Miguel Oliveira.

Mas, para isso, “é preciso fazer um trabalho nestas próximas semanas que garanta que nessa circunstância tudo aconteça de forma sanitariamente mais aconselhável [do que aconteceu na Fórmula 1]”, afirmou, acrescentando estar convencido de que “haverá condições para o fazer”.

Nas Caldas da Rainha, à margem de uma homenagem ao ciclista João Almeida, o secretário de Estado defendeu que “se comece a trabalhar já” para criar condições que permitam a presença de público em eventos desportivos, defendendo “um caminho de compromisso”.

“Acho perfeitamente possível conciliar público e segurança sanitária”, disse, dando como exemplo os estádios de futebol, “ao ar livre e preparados para receber dezenas de milhar de pessoas”.

Apesar da polémica em torno do não cumprimento do distanciamento social, na prova realizada no último fim de semana, em Portimão, o secretário de Estado defende a “importância” da presença do público em “eventos menos mediáticos”, considerando-o até “essencial à sobrevivência de agentes desportivos” como “os clubes mais pequenos”.

Continuar a ler

Futebol

FC Porto vence Olympiacos e soma os primeiros três pontos na Liga dos Campeões

Liga dos Campeões

em

Foto: Twitter / FC Porto

O FC Porto venceu hoje os gregos do Olympiacos, treinados pelo português Pedro Martins, por 2-0, em jogo da segunda jornada do grupo C da Liga dos Campeões de futebol, garantindo os primeiros três pontos na competição

O jovem Fábio Vieira marcou o primeiro golo da partida, aos 11 minutos, com Sérgio Oliveira, aos 85, a ampliar a vantagem do FC Porto sobre o Olympiacos, que contou com os portugueses José Sá, Rúben Semedo, Rúben Vinagre, Bruma e Pêpê Rodrigues.

Com esta vitória, o FC Porto está em segundo lugar no grupo, com três pontos, os mesmos do Olympiacos, com o Manchester City, de Rúben Dias, João Cancelo e Bernardo Silva, a liderar com seis, depois da vitória de hoje frente ao Marselha, de André Villas-Boas, por 3-0, com os franceses ainda sem pontuar.

Continuar a ler

Futebol

Acionistas da SAD do Braga aprovam por unanimidade exercício recorde

SC Braga

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

Os acionistas da sociedade anónima desportiva (SAD) do Braga aprovaram hoje por unanimidade o relatório e contas da época 2019/20, que registou o resultado histórico de 22 milhões de euros (ME).

Reunidos em assembleia-geral, os acionistas da SAD ‘arsenalista’ aprovaram ainda por unanimidade o orçamento para a presente temporada, assim como os restantes pontos da ordem de trabalhos.

Na época 2019/20, a SAD do Braga apresentou um resultado líquido positivo de 22 ME, o maior de sempre da sociedade, registando um EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) de 30,2 ME.

O ativo cresceu cerca de 39%, para valores que chegam quase aos 100 ME (99,4 ME), e o passivo também subiu, cerca de 11%, situando-se agora nos 58 ME.

Foi ainda aprovado por unanimidade, por proposta do órgão de fiscalização e revisor oficial de contas e de um acionista, um voto de louvor à gestão da SAD.

Participaram na AG acionistas que representam 62,6% do capital social da sociedade.

Continuar a ler

Populares