Seguir o O MINHO

Ave

Adiada leitura de acórdão de autarca de Cabeceiras de Basto acusado de peculato

Para segunda-feira

em

Foto: DR / Arquivo

O Tribunal de Guimarães adiou para segunda-feira a leitura do acórdão de um ex-presidente da Junta de Freguesia de Pedraça, Cabeceiras de Basto, acusado de se apropriar indevidamente de mais de 30 mil euros pertença da autarquia.

Segundo fonte judicial, a leitura, que estava marcada para quinta-feira, foi adiada por motivos de agenda da juiz presidente do coletivo.

No processo, António Andrade, eleito pelo PS, responde pelos crimes de peculato e falsificação.

Segundo a acusação, os factos remontam ao período compreendido entre 03 de março de 2010 e 04 de setembro de 2013.

“A pretexto da execução de tarefas de pagamento a fornecedores e de liquidação de outros encargos, o arguido logrou que fossem preenchidos, assinados e postos em condições de ser pagos vários cheques, de que ficou portador e que logrou depositar em contas bancárias a que tinha acesso”, refere a acusação.

Desta forma, o arguido ter-se-á apropriado do montante global de 31.919 euros, pertença da Junta de Freguesia.

No início de 2019, o arguido acordou devolver aquele montante à autarquia, o que está a fazer em prestações mensais de 400 euros.

Inicialmente, o Ministério Público (MP), após investigação patrimonial e financeira, pediu que o arguido fosse condenado a pagar ao Estado 598.172,51 euros, por considerar que se tratava de património não compatível com os seus rendimentos lícitos.

Nas alegações finais do julgamento, o MP deixou cair aquele pedido.

António Andrade foi presidente da Junta de Pedraça durante 12 anos, até 2013, ano em que não se pôde recandidatar devido à lei de limitação de mandatos.

Em 2013, tomou posse uma nova junta, eleita pelo movimento Independentes por Cabeceiras, que fez chegar a contabilidade da autarquia ao Tribunal de Contas e a outras entidades com competência de fiscalização, por considerar haver várias irregularidades.

Anúncio

Guimarães

Farfetch dá licença sabática paga de oito semanas a funcionários

Empresas

em

José Neves, fundador da Farfetch, tem residência em Guimarães e em Londres. Foto: DR/Arquivo

A empresa Farfetch, retalhista digital de marcas de luxo fundada pelo vimaranense José Neves e com escritórios em Braga e Guimarães, anunciou a implementação de uma medida para os trabalhadores que consiste numa licença sabática, de até oito semanas, paga pela empresa.

O programa chama-se “Boomerang” e consiste em premiar os colaboradores mais antigos (mais de cinco anos de casa) com oito semanas pagas sem trabalhar, mais três dias extra de férias por ano (podendo ainda acrescentar outros três), benefícios nas áreas da saúde, educação/formação e planos de poupança-reforma e dois dias sem trabalhar desde que façam voluntariado (a escolha do tipo de voluntariado é livre).

Farfetch: Empresa do vimaranense José Neves entrou na bolsa em Nova Iorque

Em entrevista à publicação Dinheiro Vivo, Ana Sousa, dos Recursos Humanos da empresa, explica que esta é uma forma de reter o talento que se concentra dentro das fileiras do primeiro unicórnio (startup que possui avaliação de preço de mercado no valor de mais de um bilhão de dólares) português.

Fundada em junho de 2007, a partir de Guimarães, pelo empresário José Neves, a empresa tem sede fiscal em Londres e principais filiais em Braga, Guimarães, Matosinhos, Lisboa, Nova Iorque, Los Angeles, Tóquio, Xangai e São Paulo.

A plataforma digital de comércio de luxo junta mais de 3.200 marcas a mais de 935.000 utilizadores, apresentando soluções de apresentação ‘online’ e envio dos produtos. Só em Leça do Balio, trabalham mais de mil  dos cerca de 4 mil colaboradores atuais da Farfetch.

Continuar a ler

Guimarães

Rixa entre familiares em Guimarães acaba com três feridos

Em Corvite

em

Foto: DR / Arquivo

Um “desentendimento familiar” esteve na origem de uma altercação que terminou com três pessoas feridas, ontem à noite, na freguesia de Corvite, em Guimarães, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

As agressões ocorreram na Rua do Ribeiral, cerca das 21:30 horas de sábado, mobilizando os Bombeiros das Taipas com seis operacionais e três ambulâncias.

As vítimas, dois homens e uma mulher, foram assistidos no local, mas apenas duas foram transportadas para o Hospital de Guimarães, com um dos homens a recusar transporte hospitalar.

Fonte do CDOS de Braga indicou que os ferimentos foram considerados ligeiros.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Ave

Jovem de 27 anos detido por bater nos pais e na irmã em Fafe

Violência doméstica

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Um homem de 27 anos foi detido pela GNR por suspeitas do crime de violência doméstica, na freguesia de Medelo, concelho de Fafe, anunciou a GNR.

Em comunicado, aquela guarda dá conta de uma investigação, que durava já há algumas semanas, iniciada depois de suspeitas de que o jovem injuriava e agredia os familiares com quem coabitava.

Foi emitido um mandado de detenção ao alegado agressor, cumprido este sábado por militares da GNR do Núcleo de Investigação e Apoio à Vítima.

O detido foi presente ao Tribunal Judicial de Guimarães para aplicação de medidas de coação.

Continuar a ler

Populares