Seguir o O MINHO

Braga

Acusado nas mortes na praxe em Braga inconformado com afastamento da Câmara do processo

“Há pessoas que deviam estar aqui e não estão”.

em

Foto: Imagem CMTV (Arquivo)

Acusado do homicídio negligente de três colegas da Universidade do Minho em abril de 2014 numa ação de praxe, José Pedro Monteiro disse sentir-se inocente e mostrou-se incorfomado por a Câmara de Braga ter sido afastada do processo.

“Eles eram nossos amigos. Passávamos os dias inteiros juntos. Só vivo bem comigo por não sentir qualquer culpa nesta tragédia”, disse no julgamento o engenheiro informático de 23 anos, citado pelo jornal “Correio da Manhã”.

A repetição do julgamento ordenada pelo Tribunal da Relação de Guimarães começou esta quinta-feira. Os quatro arguidos foram absolvidos, em 2017, pelo Tribunal de Braga, por terem causado a morte, em 2014, – por esmagamento – a três colegas, com a queda de uma estrutura – tipo muro, que correspondia às antigas caixas de correio de um prédio. Argumentou que devia ser feita uma peritagem à estrutura que ruiu e deu mesmo indicações quanto aos parâmetros a determinar. Mas o LNEC- Laboratório Nacional de Engenharia Civil diz que a perícia técnica “é impossível”.

Vasco Rodrigues (19 anos), Nuno Ramalho (21 anos) e João Pedro Vieira (18 anos) perderam a vida. Foto: DR

“Queremos colaborar com a Justiça, para que a verdade venha ao de cima. Mas há pessoas que deviam estar aqui e não estão, nomeadamente a Câmara de Braga. É ridículo a Câmara passar ilesa e nós continuarmos no processo até hoje”, disse.

A Relação validara um recurso da acusação, segundo o qual não se levou até ao fim a investigação às causas da queda. E disse que deviam ser determinadas quais as fissuras que a estrutura apresentava antes do desastre, que escorrências de água havia, qual o grau de inclinação que apresentava e qual a pressão nele exercida pelo terreno vizinho, onde se encontrava encostada.

Em causa, está a necessidade de se concluir que outros motivos levaram à ruína, para além do facto dos arguidos/estudantes nela se terem posto aos saltos, em clima de «guerra de praxe entre cursos». O Tribunal põe assim em causa uma eventual responsabilidade da Câmara e dos proprietários do imóvel.

Face à decisão, o Tribunal de Braga solicitou ao LNEC uma peritagem. Os técnicos do Laboratório concluíram que tal não é viável porque – dizem – os destroços do muro estão no estaleiro da Câmara e deles nada se extrai. Acresce que, “não se conhece o projeto nem os detalhes da sua construção, tal como da sua utilização real, idade e manutenção”. Diz que a peritagem teria sido possível no local, na data do acidente, e conclui que, “face ao tempo decorrido não existem condições para se pronunciar”.

No julgamento, o advogado das famílias das vítimas disse que “os principais responsáveis pela tragédia” não foram a julgamento, aludindo ao administrador do condomínio, a um fiscal e a um técnico da Câmara”. O Tribunal decidiu-se pela absolvição, já que “ninguém podia prever que o muro ia ruir e matar três estudantes”.

Em 23 de abril de 2014, em Gualtar, Braga, numa urbanização próxima do campus da UMinho, e numa ação de praxe, – envolvendo os cursos de Medicina e Engenharia – quatro alunos subiram para a estrutura, sita na via pública. Os colegas falecidos estavam em baixo a participar nos festejos quando a estrutura caiu, esmagando-os.

Anúncio

Braga

Eleições: PS aprova hoje listas de candidatos a deputados com Braga ainda em aberto

Reunião em Lisboa

em

Foto: DR / Arquivo

A Comissão Política Nacional do PS aprova hoje as listas de candidatos a deputados às próximas eleições legislativas, num processo em termos globais pacífico internamente, mas em que Braga tem ainda os seus nomes em aberto.

O processo para a escolha dos candidatos a deputados do PS começou no início deste mês, com as comissões políticas do território nacional a indicarem cerca de dois terços da totalidade dos candidatos, cabendo o restante terço ao secretário-geral do partido, António Costa. Uma repartição que está estipulada nos estatutos do PS.

Na escolha dos cabeças de lista, a opção que prevaleceu foi a da continuidade face aos candidatos apresentados nas eleições legislativas de 2015, principalmente no caso dos maiores círculos eleitorais do país, como Lisboa (com António Costa), Porto (Alexandre Quintanilha) e Setúbal (Ana Catarina Mendes).

A mesma lógica de continuidade existiu nos casos da Madeira (Carlos Pereira), Viana do Castelo (Tiago Brandão Rodrigues), Bragança (Jorge Gomes), Ascenso Simões (Vila Real), Aveiro (Pedro Nuno Santos), Castelo Branco (Hortense Martins), Portalegre (Luís Testa), Évora (Capoulas Santos) e Pedro Carmo (Beja).

O PS apresentará novos “números um” nos Açores (Isabel Maria Rodrigues em substituição do líder parlamentar Carlos César), no Algarve (Jamila Madeira), em Santarém (Alexandra Leitão), Leiria (Raul Castro), Coimbra (Marta Temido), Viseu (João Azevedo) e Guarda (Ana Mendes Godinho).

Na lista do círculo de Lisboa, na parte cimeira, em terceiro lugar, vai figurar Eduardo Ferro Rodrigues, o que indicia que o antigo líder socialista poderá ser de novo candidato à eleição para o cargo de presidente da Assembleia da República na próxima legislatura.

Mário Centeno, ministro das Finanças, chegou a ser apontado como cabeça de lista por Faro, mas deverá ocupar a quinta posição na lista do círculo de Lisboa, após António Costa, a deputada Edite Estrela, o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues e a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva.

Neste momento, os casos mais problemáticos para a direção do PS registam-se na Guarda e em Braga.

No caso da Guarda, o nome de Ana Mendes Godinho, atual secretária de Estado do Turismo, não foi contestado pela estrutura distrital – até porque a sua indicação é uma competência do líder partidário -, mas o resto da lista proposta pela direção federativa mereceu a rejeição.

Além do caso da Guarda, a Comissão Política Nacional do PS teve de avocar o processo da Federação de Braga, que aprovou a sua quota de dois terços de nomes para a lista logo no início deste mês.

A Comissão Política da Federação de Braga do PS optou por deixar os primeiros dois nomes da lista em aberto para posterior escolha de António Costa e colocou em terceiro lugar o líder federativo, Joaquim Barreto, seguido por Luís Soares da concelhia de Guimarães.

Neste processo na Comissão Política de Braga, foram deixados de fora para eventual escolha do secretário-geral socialista nomes como o da deputada Sónia Fertuzinhos, ou o do secretário nacional do PS para a Organização, Hugo Pires.

Em Braga, o PS elegeu sete deputados nas eleições legislativas e assume agora como “objetivo mínimo” a eleição de oito ou mesmo nove (tal como aconteceu em 2005 e em 2009).

Este processo de escolha de candidatos a deputados do PS deverá ser hoje contestado pela minoria liderada por Daniel Adrião, cuja fação representa cerca de 15% dos membros da Comissão Política Nacional. Esta corrente minoritária exige ter lugares de candidatos a deputados em lugares elegíveis.

A Comissão Política Nacional do PS reúne-se hoje, a partir das 21:00, na sede nacional deste partido, em Lisboa. Além de António Costa, o processo de escolha dos candidatos a deputados foi coordenado pela secretária-geral adjunta, Ana Catarina Mendes.

Continuar a ler

Braga

Universidade do Minho recebe a Medalha de Honra ao Mérito Desportivo do Governo

Pelos “serviços prestados em prol do desporto universitário”

em

Foto: Divulgação / Arquivo

A Universidade do Minho (UMinho) vai receber, terça-feira, a Medalha de Honra ao Mérito Desportivo pelos “serviços prestados pela instituição em prol do desporto universitário”, entregue pelo ministro com a tutela do Desporto, anunciou hoje aquela instituição.

Em declarações à Lusa, o ministro Tiago Brandão Rodrigues explicou que a distinção “pretende reconhecer a UMinho pela forma que a instituição tem entendido que o Desporto é também um dos seus importantes porta-estandarte, assim como a Ciência e Tecnologia, a Cultura e todos os cidadãos que acaba por formar”.

A Medalha de Honra ao Mérito Desportivo destina-se a “galardoar individualidades e coletividades nacionais ou estrangeiras pelos serviços prestados em prol do desporto nacional e pela continuidade ou repetição de ações ou factos relevantes, prestigiando o desporto nacional e o nome do país”, esclarece em comunicado enviado à Lusa pela UMinho.

Segundo a instituição minhota, “UMinho foi pioneira na regulamentação do Estatuto de Estudante Atleta, contribuindo para que inúmeros estudantes conciliassem a atividade desportiva universitária e de alto rendimento com o seu percurso académico”.

Na nota, a academia salienta os “13 eventos internacionais organizados nos últimos 20 anos – em 2021, será a vez de Guimarães receber o Campeonato Europeu Universitário de Voleibol – e as mais de 660 medalhas nacionais e 37 internacionais conquistadas nos últimos cinco anos”.

“A UMinho tem deixado marcas no país e em todo o mundo”.

“Tudo isto acaba por fazer cm que e a UMinho se tenha concretizado numa extraordinária plataforma para edificar e sustentar o verdadeiro legado sobre qual alguém um dia nos predirá contas, saber se o desporto como pratica cidadã, sustentada e estruturada, deixa verdadeiramente marcas no futuro das populações”.

Alunos de 28 universidades coloriram ruas de Braga na abertura do Europeu Universitário de Futsal

O galardão vai ser entregue na cerimónia de encerramento do Campeonato Europeu Universitário de Futsal, uma competição que envolveu, ao longo da última semana, 28 equipas provenientes de 12 países.

Continuar a ler

Braga

Bombeiros de todo o lado voltam a Braga para subir os 566 degraus do Bom Jesus com 25 quilos às costas

Bombeiro de Elite só se realiza no final de setembro, mas já conta com mais de 300 inscrições. 25% chegam do estrangeiro

em

A dois meses da realização da terceira edição da prova Bombeiro de Elite, em Braga, a iniciativa contabilizada já 300 inscrições. É o espelho do sucesso desta competição que consiste na subida do Escadório do Bom Jesus do Monte, com mais de 25 quilos de equipamento de protecção individual (fardamento de combate a incêndios urbanos).

Um quarto dos inscritos são de nacionalidade estrangeira, o que, de acordo com a organização, atesta bem a internacionalização desta prova, promovida pela Associação Nacional de Bombeiros Profissionais.

Segundo o dirigente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais, também operacional da Companhia de Bombeiros Sapadores de Braga, “o Bombeiro de Elite, na sua terceira edição, a 28 de Setembro, um sábado, será uma das provas mais concorridas a nível mundial”.

Ricardo Fernandes, citado no comunicado enviado às redações, revela que “já dentro das próximas semanas surgirão cada vez mais inscrições, e teremos a capacidade de continuar a receber mais participantes, no limite podemos chegar perto dos 600 atletas, dada a colaboração de entidades oficiais e de empresas particulares”, em que este ano o patrocinador principal é o Grupo Empresarial JC Group, sediado em Braga.

A prova divide-se em sete escalões etários, femininos e masculinos, com o objectivo de percorrer 615 metros, no escadório que tem um desnível positivo de 116 metros, com 566 degraus, onde todos os participantes terão de envergar o Equipamento de Protecção Individual (EPI) completo com as botas de fogo e Aparelho Respiratório Isolante de Circuito Aberto (ARICA), no menor tempo possível.

“Continua a ser assim mais justa a classificação de cada um dos concorrentes, isto em função da sua idade, como foi sugerido por outro organizador, José Sousa, da ADN / Organização de Eventos Desportivos”, referiu ainda Ricardo Fernandes.

A primeira edição do Bombeiro de Elite teve lugar em 07 de outubro de 2017, sendo, na altura, a primeira prova em Portugal tendo como pano de fundo um monumento nacional.

Este ano, a prova vai realizar-se no dia 28 de Setembro, no Bom Jesus do Monte, em Braga, classificado recentemente como Património Mundial da Humanidade pela UNESCO.

Sobre a escolha deste espaço icónico de Braga, o dirigente nacional da ANBP considera que a opção feita há três anos “demonstra que o lugar não foi escolhido ao acaso. Tínhamos a certeza que era uma questão de tempo e neste momento enche-nos de alegria, mas também de orgulho por ser actualmente a única prova no Mundo realizada num local com esta classificação”.

A prova conta ainda com a colaboração da Câmara Municipal de Braga, da ADN / Organização de Eventos Desportivos, Confraria do Bom Jesus e da Companhia de Bombeiros Sapadores de Braga, para além de outras entidades e de muitas empresas prestigiadas que já se associaram a este evento.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares