Seguir o O MINHO

Futebol

Abel queixa-se de “penálti muito duvidoso, mas o senhor Jorge Sousa não teve dúvidas”

SC Braga perdeu (2-3) e treinador fala da grande penalidade que deu o empate a duas bolas

em

Declarações no final do encontro SC Braga-FC Porto (2-3), da 27.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol:

– Abel Ferreira (treinador do SC Braga): “Foi um grande jogo do Sporting de Braga. Fechámos os caminhos do nosso adversário, que fez um golo num canto e dois de penáltis. Esta é uma das melhores equipas do FC Porto da história, pela experiência dos jogadores, pela qualidade, pelo conhecimento, pelo saber controlar o próprio jogo. Estivemos em vantagem e tivemos as nossas oportunidades. Tivemos no pé o 3-1.

O nosso adversário, num penálti muito duvidoso, faz o 2-2, mas o senhor Jorge Sousa não teve dúvidas. Com outro penálti, ficámos em desvantagem, mas a equipa teve reação e colocou o adversário em dificuldades. Foi um jogo muito bem conseguido, com processos bem definidos. Tenho a certeza absoluta de que hoje saio daqui melhor treinador.

Os dois golos do Braga enquadram-se no que treinámos para o jogo. O Casillas não errou. Fomos nós que provocámos o erro. Temos de esperar o momento certo para atacar o adversário. O futebol é espaço e tempo e tivemos de reduzir o espaço e o tempo do nosso adversário.

Num jogo de futebol, conta a qualidade dos jogadores, as capacidades cognitivas, a estratégia de jogo, a análise ao adversário e o aleatório. O último fator não esteve do nosso lado.

Em relação à minha expulsão [aos 73 minutos], é bem audível o que o Jorge Sousa diz. Ele diz: ‘Não há bolas e vou dar sete minutos de desconto’. Eu disse-lhe isto: ‘Quero ganhar o jogo também’. E ele expulsou-me.

(A derrota ditou o adeus ao título?) Sabem o que é que o Braga tem feito sob o meu comando, os desafios que se colocam a esta estrutura, a ambição e os recursos que temos. Temos de ultrapassar obstáculos que nos dão experiência e nos tornam mais fortes. Faltam 21 pontos. Vamos ser coerentes com o que dissemos no início. Vamos recuperar os jogadores para a segunda mão da meia-final da Taça de Portugal [derrota com o FC Porto por 3-0, na primeira mão] e depois entrar novamente no campeonato. Vamos lutar pelo lugar que ocupamos.

No final do jogo, disse-lhes [aos jogadores] que estávamos tristes, mas não desiludidos [para os recuperar moralmente]. Fizemos um grande jogo. Comprometi-me a valorizar os jogadores e o espetáculo”.

– Sérgio Conceição (treinador do FC Porto): “Foi um jogo interessante, com cinco golos e o FC Porto a jogar à tarde, algo que já não acontecia há muito tempo, num estádio com uma moldura humana interessante. Foi um jogo entre duas das melhores equipas do campeonato nacional.

Não entrámos bem nos primeiros 10 minutos de cada parte. Fomos passivos em alguns momentos desses períodos. Depois, estivemos bem, se bem que nos tenha faltado velocidade na procura de espaço. Era preciso haver mais trocas posicionais para colocarmos em dificuldade a equipa do Braga.

Fiz as substituições sempre a pensar em ir atrás do prejuízo e em ganhar, sabendo que não é fácil contra esta equipa do Braga, que cumpriu o plano em termos defensivos.

O primeiro golo do Braga foi um erro no corredor central. O Braga é forte na pressão frontal, ganhou a bola e fez um golo. Os golos surgem sempre de algo que não corre bem na organização defensiva. Tínhamos de ir à procura da vitória estando 0-0 ou a perder. Fizemo-lo com caráter e personalidade, mas nem sempre da melhor forma. Faltou-nos perceber alguns detalhes [do jogo].

(Brahimi começou no banco de suplentes) Tenho um plantel com 29 jogadores, quatro deles guarda-redes. Se o Brahimi jogar, outro jogador terá de ficar no banco. Sabemos da importância dele, até no último penálti. É tudo uma questão de estratégia. Ao intervalo, senti que as características do Brahimi eram necessárias. A minha previsão para o jogo era diferente e coloquei outro jogador de início [Otávio].

O estado de espírito é o melhor neste final de época. Estar nos quartos de final da Liga dos Campeões, a meio de uma eliminatória em que estamos por cima, na Taça de Portugal, e com o Benfica, na frente [do campeonato] é bom. Na terça-feira, temos já outro desafio aqui [Estádio Municipal de Braga] e vamos tentar conservar ou até ampliar a vantagem para estarmos presentes na final da Taça, em 25 de maio.

Ainda não sabemos a extensão da lesão [do Alex Telles]”.

Anúncio

Futebol

Sá Pinto quer ganhar apesar de apuramento já estar garantido

Líder do grupo F

em

Foto: Instagram SCB

Ricardo Sá Pinto disse, na quarta-feira, que, apesar da qualificação para a próxima fase da Liga Europa de futebol já estar assegurada, o SC Braga quer ganhar na Eslováquia, esta quinta-feira, o Slovan Bratislava.

Os minhotos, que lideram o grupo, com 11 pontos, garantiram a passagem aos 16 avos de final da Liga Europa após o empate caseiro 3-3 da jornada anterior, com o Wolverhampton, que também segue para essa fase, faltando apenas definir qual das equipas termina em primeiro lugar.

“Apesar de já estar decidido em termos de passagem à fase seguinte, e esse era o objetivo criado depois do inicial, que era entrar na fase de grupos, há outros aliciantes [para o jogo de quinta-feira]. É um jogo de grande responsabilidade, porque temos que dignificar o clube, é uma oportunidade de fazer história e queremos logicamente lutar pela vitória”, disse o treinador na antevisão da sexta e última ronda do grupo K.

Ricardo Sá Pinto admitiu que vai fazer algumas alterações no ‘onze’, para o qual não conta com Wallace, Claudemir e Hassan, devido a lesão, e Sequeira, por opção.

“Estamos outra vez num ciclo mais exigente, este é o segundo de cinco jogos, e provavelmente poderá haver algumas alterações para dar oportunidade a jogadores, para poderem divertirem-se e desfrutar desta competição, mas quem entrar amanhã [quinta-feira], tem que entrar focado para poder termos um resultado positivo”, disse.

Ricardo Sá Pinto frisou que “todos os jogos são importantes”, mas até ao Wolverhampton não podia “pensar de outra forma”.

“Agora temos que saber gerir, já temos 34 jogos [26 oficiais], há muitas equipas que fazem isso num ano todo, mais dois ou três jogos, tem sido muito exigente a nível físico e psicológico. Além disso, há jogadores que merecem e estão a trabalhar arduamente há vários meses à espera de poderem ajudar”, detalhou.

O técnico considera ainda que o bom percurso da equipa na competição “não aumenta a responsabilidade para a próxima fase”.

“Não, porque nos superámos. Agora, temos que nos divertir com responsabilidade, aproveitar as oportunidades que criámos com a nossa superação e não vamos entregar nada a ninguém na próxima fase, vamos encará-la da mesma forma que até aqui, com a mesma responsabilidade, seriedade e ambição. Se pudermos ir mais longe, tudo iremos fazer por isso”, disse.

SC Braga, líder do grupo K, com 11 pontos, e Slovan Bratislvava, terceiro, com quatro, defrontam-se a partir das 20:00, no Estádio Narodny, em Bratislava, jogo que será arbitrado pelo polaco Pawel Gil.

Continuar a ler

Futebol

Liga Europa: Ivo Vieira quer vencer em Frankfurt

Vitória despede-se da competição

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO (Arquivo)

O treinador do Vitória SC, Ivo Vieira, afirmou esta quarta-feira que os portugueses vão “jogar para ganhar e para crescer” no terreno do Eintracht Frankfurt, no sexto e último jogo do grupo F da Liga Europa de futebol.

Com dois pontos após cinco partidas, os vimaranenses estão ‘condenados’ ao quarto e último lugar do grupo e vão despedir-se da competição quinta-feira, na Alemanha, num duelo em que o técnico madeirense espera ver os seus atletas lutarem pelo primeiro triunfo, mas sem qualquer “trauma” ou “frustração” pelo que não foi conseguido.

“Há que interpretar este momento como de crescimento, em que os atletas puderam usufruir de palcos fantásticos. Vamos tentar ganhar, pois é merecido pelo futebol que o clube apresentou, mas sabemos que vai ser difícil”, adiantou, na conferência de imprensa de antevisão ao jogo marcado para as 17:55, no Estádio Commerzbank.

Apesar da turma minhota ter perdido na receção aos germânicos, em outubro, por 1-0, após um golo do defesa Evan N’Dicka, Ivo Vieira lembrou que os seus pupilos fizeram então um bom jogo e precisam apenas de “ser mais competentes” para fazerem mais golos do que o Eintracht, na quinta-feira.

Além de precisar de um triunfo para se qualificar, na condição de segunda classificada, com nove pontos, mais dois do que os belgas do Standard de Liège, a equipa alemã só perdeu até agora dois jogos em casa na presente época: Arsenal, para a Liga Europa (3-0), e Wolfsburgo, para o campeonato (2-0).

O ‘timoneiro’ vitoriano reconheceu que o Eintracht Frankfurt é “muito forte em casa”, mas também passível de ser contrariado por um Vitória “organizado”, a “acreditar na sua ideia de jogo”.

Em retrospetiva, Ivo Vieira considerou ainda que o número de pontos que o clube português tem é “injusto”, apesar de se encontrar, a seu ver, no “grupo mais difícil para se aspirar a um apuramento à fase seguinte”.

Ao lado do treinador, o defesa Frederico Venâncio considerou que a participação na Liga Europa foi uma oportunidade para alguns jogadores que se estrearam na competição “aprenderem e ganharem experiência”.

Com 10 partidas disputadas na época em curso, o central, de 26 anos, prometeu ainda um Vitória preparado para “enfrentar um ambiente adverso”, mas também para “receber apoio dos seus adeptos” e para tentar ganhar.

Questionado ainda sobre a recente falta de produtividade dos avançados portugueses do Eintracht, André Silva e Gonçalo Paciência, Venâncio lembrou que os minhotos não se podem preocupar apenas com esses dois elementos, mas com a “parte ofensiva” do adversário como um todo.

O Eintracht Frankfurt, segundo classificado do grupo F, com nove pontos, menos um do que o líder Arsenal, recebe o Vitória de Guimarães, quarto e último classificado, com dois, num jogo agendado para as 17:55 de Lisboa, no Estádio Commerzbank, em Frankfurt, com arbitragem do lituano Gediminas Mazeika.

Continuar a ler

Futebol

Fábio Martins (Famalicão) e Galeno (Braga) entre os três melhores avançados de outubro e novembro

Duo minhoto ficou atrás de Carlos Vinícius, do Benfica

em

Carlos Vinícius, do SL Benfica, foi eleito pelos treinadores principais da Liga NOS como o melhor avançado da competição, nos meses de outubro e novembro.

O avançado dos encarnados apontou cinco golos, somando, ainda, uma assistência, nos cinco encontros disputados durante os últimos dois meses.

Com 47,86% dos votos, o brasileiro assegurou a distinção, seguido de Fábio Martins (FC Famalicão) com 14,53% e de Galeno (SC Braga) com 9,40%.

Continuar a ler

Populares