Seguir o O MINHO

Futebol

A incrível história de um jogador de 15 anos chamado por Carvalhal no Braga

SC Braga

em

Conversa entre Carvalhal e Roger. Foto: Facebook de Carlos Carvalhal

Chama-se Roger Fernandes, tem 15 anos, e em pouco mais de três meses de SC Braga ao peito já foi chamado para treinar com o plantel principal. Agora, caiu nas boas graças do treinador da equipa principal, Carlos Carvalhal, que lhe elogiou a preparação para os jogos.

Os elogios surgem depois de Carlos Carvalhal ter decidido apostar no jovem para ocupar o lugar normalmente utilizado por Galeno, que está lesionado. Em jogo amigável contra o Vizela, Roger cumpriu os 90 minutos, para satisfação do técnico. À noite, depois do jogo, Carvalhal começou a rever a partida, de forma a corrigir alguns pormenores que Roger pudesse não ter encaixado. Mas tal não aconteceu, sobretudo devido à sagacidade de Roger que, nos dias anteriores, viu jogos do Braga para tentar perceber a melhor forma de se encaixar no sistema táctico e, sobretudo, para fazer o mesmo que Galeno habitualmente faz. E isso deixou Carvalhal em êxtase.

“Uma história da vida que devia ser contada a todos os miúdos que estão na formação de todas as modalidades”, começa por escrever o técnico bracarense nas redes sociais, destacando que o jovem apenas começou a jogar oficialmente nos sub-19 “há uns 2 ou 3 meses”.

“O Roger começou a treinar e gostei dele desde o primeiro toque na bola! Gostei tanto que jogou a titular no primeiro jogo-treino com o Vizela. Nesse dia a noite, como sempre, revi o jogo em casa! Uma das minhas preocupações era o posicionamento defensivo e ofensivo do Roger para o corrigir! Passam os minutos e nem um apontamento! Chego ao fim dos 45 minutos e a folha dele estava em branco… fiquei intrigado! Como é possível este miúdo estar tão identificado com o NOSSO jogo?!!”, escreveu Carvalhal.

O técnico revela a resposta do atleta: “Mister, foi a ver vídeos (…) do Braga. E como o mister me meteu na posição do Galeno, eu estive atento para ver como se posicionava. Vi como se movimentava e procurei fazer igual”.

“Fantástico”, escreve Carvalhal, destacando que o jovem estudou “a equipa onde quer jogar. As ideias fundamentais e depois foi procurar nas imagens o posicionamento do jogador que joga na sua posição para o estudar”.

“Nunca tinha vivido uma situação destas, mas entendo que isto deva ser partilhado como exemplo positivo, para aqueles que um dia querem jogar na equipa principal dos seus clubes. Não faço ideia se o jovem Roger vai ser jogador a sério! Mas que está no bom caminho, está sem dúvida alguma”, concluiu o técnico.

EM FOCO

Populares