Seguir o O MINHO

Alto Minho

700 mil euros para ampliar ponte que liga Monção e Galiza

Eurocidades

em

Foto: Blogue do Minho

Um investimento superior a 700 mil euros, a dividir pelas Câmaras de Monção, no Alto Minho, e Salvaterra do Miño, na Galiza, vai recuperar e ampliar a ponte que há 25 anos liga os dois municípios unidos numa eurocidade.

Em comunicado hoje enviado, a câmara portuguesa informou que “os dois países, através da Infraestruturas de Portugal e Infraestruturas e Mobilidade da Junta da Galiza, acertaram a partilha do investimento em partes iguais, tendo sido iniciado o processo para a efetivação de um convénio internacional”.

Segundo a autarquia do distrito de Viana do Castelo, liderada pelo social-democrata António Barbosa, o “trabalho técnico já efetuado estima que os trabalhos de requalificação estrutural ascendam a 700 mil euros, cujo financiamento será repartido pelos dois países”.

“Paralelamente, será projetada a ampliação da travessia, incluindo tabuleiro para bicicletas, unindo as ecopistas existentes nas duas margens”, acrescenta a nota.

Segundo os últimos dados avançados pela autarquia, “a ponte é atravessada, diariamente, por mais de nove mil veículos”.

A requalificação e ampliação da Ponte Internacional Monção – Salvaterra de Miño foi analisada numa reunião, na segunda-feira, que juntou, no Porto, o vice-presidente da Infraestruturas de Portugal, José Serrano Gordo, e a Conselheira de Infraestruturas e Mobilidade da Junta da Galiza, Ethel Vazquez.

No encontro, participaram ainda o diretor da Agência Galega de Infraestruturas, Francisco Menéndez, o presidente da Câmara Municipal de Monção, António Barbosa, e a alcaldesa de Salvaterra de Miño, Marta Valcárcel.

“O resultado foi extremamente positivo, ficando decidido iniciar-se o processo para a efetivação de um convénio internacional direcionado para a requalificação e ampliação da ponte internacional sobre o rio Minho, incorporando-se um tabuleiro para bicicletas”, sustenta a nota.

Para António Barbosa, citado no comunicado, “assistiu-se a uma convergência de opiniões entre os responsáveis dos dois organismos” que registou “com enorme agrado”.

“A intervenção é absolutamente necessária, dada a acentuada afluência de veículos nos dois sentidos. O alargamento garante maior segurança aos ciclistas e potencia as vias verdes existentes nas duas localidades que, desta forma, passam a ficar unidas”, reforçou o autarca.

A ponte internacional Monção – Salvaterra de Miño, batizada com os nomes dos poetas João Verde e Amador Saavedra, foi inaugurada no dia 29 de março de 1995, comemorando, no próximo ano, os 25 anos.

Além daquela ponte, há mais quatro travessias sobre o rio Minho a ligar o concelho do distrito de Viana do Castelo à Galiza e naquela eurorregião estão constituídas, além da eurocidade Monção/Salvaterra do Miño, criada em 2017, mais duas, entre Valença e Tui, que formaram a primeira em 2012, e no ano passado avançaram os concelhos de Vila Nova de Cerveira e Tomiño.

Anúncio

Viana do Castelo

Movimento de mercadoria no porto de Viana do Castelo aumenta 19%

Movimentou, até setembro, 308 mil toneladas de mercadoria

em

Porto de Viana do Castelo. Foto: Divulgação

O porto de Viana do Castelo movimentou, até setembro, 308 mil toneladas de mercadoria, um aumento de 19% face a 2018, sendo que “a média mensal superou as expetativas” ao registar um acréscimo de 26% no mesmo período.

Em comunicado enviado à Lusa, a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) adiantou que “os granéis sólidos registaram um aumento considerável, com 124 mil toneladas, que corresponderam a um crescimento de 112% face ao período homólogo”.

Segundo a APDL, “entre as principais mercadorias movimentadas no porto de Viana do Castelo destacam-se os agroalimentares que registaram um aumento de 51 mil toneladas (+537%), tornando-se na principal mercadoria importada através infraestrutura portuária”.

“Desde o início do ano, o Porto de Viana do Castelo tem assistido a um crescimento sucessivo da movimentação de mercadorias. Entramos agora no último trimestre do ano com grande expectativa para o fecho de 2019. Esta infraestrutura portuária tem conseguido criar um dinamismo muito interessante para a economia da região e do país”, destacou a administração da APDL.

Segundo a APDL, o porto situado na capital do Alto Minho “tem um papel preponderante no desenvolvimento socioeconómico da região”.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Manuel Cunha Júnior é o novo presidente da Associação Empresarial de Viana do Castelo

Substituindo no cargo Luís Ceia

em

Foto: Divulgação

Manuel Cunha Júnior é o novo presidente da Associação Empresarial de Viana do Castelo (AEVC), substituindo no cargo Luís Ceia, que desde setembro é administrador dos Serviços de Ação Social do politécnico local.

Em comunicado enviado esta terça-feira à imprensa, a AEVC adiantou que a eleição de Manuel Cunha Júnior, para o triénio 2019/2022, decorreu na segunda-feira.

Anteriormente, e durante dois mandatos (de três anos cada), Manuel Cunha Júnior desempenhou as funções de vice-presidente daquela instituição que tem entre “1.500 a 1.700” associados.

Luís Ceia foi presidente da AEVC durante uma década, acumulando a liderança da Confederação Empresarial do Alto Minho (CEVAL).

Em declarações à Lusa, Luís Ceia adiantou hoje que irá manter-se à frente da CEVAL, estrutura que representa cerca de 5.000 empresas do distrito de Viana do Castelo, e explicou ter cessado funções na presidência da AEVC por “se ter fechado um ciclo e haver necessidade de renovação”.

“O conselho fiscal demitiu-se há um mês. Havia necessidade de fazer eleições para eleger novos elementos para esse órgão. Por outro lado, o meu mandato terminava em dezembro de 2020 e já tinha adiantado que não fazia questão de me recandidatar. Já não podia dar o que a instituição precisa face às exigências que se colocam ao tecido empresarial”, explicou.

Ceia referiu que “vai continuar ligado à instituição”, noutras funções que não a de presidente, cargo que, destacou, “não é remunerado”.

Desde 02 de setembro que Luís Ceia passou a desempenhar as funções de administrador dos Serviços de Ação Social (SAS) do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC).

Na nota enviada à imprensa, a AEVC acrescentou que na segunda-feira foram ainda eleitos os membros para a Assembleia Geral e Conselho Fiscal.

Manuel Cunha Júnior é o 25.º presidente da Associação Empresarial de Viana do Castelo, sucedendo a Luís Ceia que se manteve no cargo desde 2009.

Para o novo presidente da AEVC, citado naquela nota, “a nova estrutura diretiva procurará dignificar o passado da maior associação empresarial da região, incrementando e inovando a sua gestão, procurando cumprir com todos os anseios dos seus associados”.

A AEVC e a quarta mais antiga do país, tendo sido fundada em 1852.

Continuar a ler

Alto Minho

Cerveira debate políticas de demografia, território e descentralização

Conferência promovida pela CIM do Alto Minho

em

Câmara de Cerveira. Foto: Divulgação

A Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho vai promover, no dia 29, o debate “Políticas de demografia, território e descentralização: Balanço 2014-2020, Perspetivas e Propostas de Ação 2030”, informou hoje aquela associação de municípios.

De acordo com a CIM do Alto Minho, que congrega os dez concelhos do distrito de Viana do Castelo o objetivo do debate, integrado num ciclo de conferências é “promover o debate e a reflexão coletiva sobre as prioridades de desenvolvimento e as principais iniciativas/projetos a concretizar neste espaço regional no horizonte 2030”.

A nona conferência promovida pela CIM do Alto Minho vai decorrer na biblioteca de Vila Nova de Cerveira, a partir das 17:15.

Continuar a ler

Populares