Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Mais de 350 alunos de Viana regressam às aulas em novas salas

70% da requalificação da Escola Frei Bartolomeu dos Mártires, em Viana do Castelo, está concluída.

em

Fotos: Divulgação / CM Viana do Castelo

Mais de 350 alunos, de 17 turmas iniciaram hoje o 2.º período letivo em novas salas de aulas, com a conclusão de 70% da requalificação da Escola Frei Bartolomeu dos Mártires, em Viana do Castelo.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, explicou que a primeira fase da empreitada, num investimento global de 5,3 milhões de euros, inclui, além das salas de aula, “os abrigos, átrio principal, percursos e pátio principal, biblioteca, bar, refeitório, cozinha, arrecadações, instalações sanitárias, secretaria, gabinete médico, entre outras”.

Em causa está a intervenção na EB 1,2,3 Frei Bartolomeu dos Mártires prevista desde 2011. Classificada como urgente, chegou a estar prevista para a fase IV da Parque Escolar, mas acabou por nunca sair do papel, com a suspensão daquele programa de requalificação dos edifícios escolares.

O autarca socialista adiantou que “a segunda fase da intervenção, a concluir no verão, prevê a construção de um novo pavilhão gimnodesportivo e os arranjos exteriores”, referindo que “no ano letivo 2019/2020 a escola estará totalmente requalificada”.

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

Situada no centro da cidade, a escola Frei Bartolomeu dos Mártires data de 1980, tem 630 alunos, 280 do 2.º ciclo e 350 do 3.º ciclo.

No exterior, “está também prevista, para além da nova via que permite a segurança aos alunos, a construção de estacionamento”.

Com a intervenção agora concluída, financiada pelo Norte 2020, a nova entrada principal da EB 2/3 Frei Bartolomeu dos Mártires integra um painel da artista Paula Branco Pereira, de Viana do Castelo.

A obra, com 5,22 metros quadrados, composta por 232 azulejos pintados à mão, em ladrilho cerâmico, integra-se no projeto “Trajetórias de um Frei: simbolismos e micronarrativas”.

Criado “a partir do conceito de vida e das trajetórias do Frei, o painel estabelece relações dessas representações simbólicas com a contemporaneidade”.

Segundo a artista, “a composição visual a cores tem um formato panorâmico, marcada pela existência de uma divisão horizontal através de uma corda, que simboliza a comunicação entre o céu, o mar e a terra. A ligação aos sinais culturais de Portugal também está presente na peça, partindo de ícones típicos de Viana do Castelo, como o coração de filigrana, até mitologias relacionadas com a natureza e o mar”.

A figura do frei “domina a parte central da composição, destacando-se os braços abertos e as grandes mãos que seguram e abrem um livro, considerado fonte de saber e de conhecimento”.

Com a requalificação agora concluída, que resultou de um “acordo de colaboração entre a Câmara Municipal e o Ministério da Educação, foram criadas 28 salas de aula, sendo 19 salas normais, um gabinete de educação especial, uma sala de música, uma sala de informática, um laboratório de ciências, um laboratório de física e química, uma sala de educação visual e duas de educação tecnológica”.

A primeira fase “implicou a criação de um edifício principal e também a requalificação do piso nos campos de jogos, a requalificação dos espaços existentes, dois edifícios que serão mantidos e qualificados e um pavilhão desportivo e edifício técnico”.

O projeto integra “um novo arruamento para permitir a segurança dos alunos e a criação de salas de aula e salas especiais para alunos com necessidades especiais”.

Além da requalificação e ampliação dos espaços, a intervenção agora em curso previa, inicialmente, um investimento superior a 10 milhões de euros.

O projeto, entretanto reformulado, contemplava a fusão de três níveis de ensino na mesma escola com a prevista desativação da escola primária do Carmo, também no centro da cidade.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Viana do Castelo

Mulher morre atropelada em Viana

Na EN 13, em Chafé

em

Uma mulher de 59 anos morreu, este sábado às noite, na sequência de um atropelamento, na Estrada Nacional (EN) 13, em Chafé, avança o Correio da Manhã.

De acordo com o jornal, o alerta foi dado cerca das 21:40, tendo o condutor da viatura sofrido ferimentos ligeiros e levado ao Hospital de Viana do Castelo.

(em atualização)

Continuar a ler

Viana do Castelo

Viana recua à Idade Média por uns dias

XII Feira Medieval começou na quinta-feira à noite (imagens) e prolonga-se até domingo (programa)

em

Fotos: Divulgação / Facebook de Viana Festas

Artesãos, mercadores, regatões e artífices, vindos dos mais diversos lugares, transformam, por estes dias, o centro histórico dde Viana do Castelo, num espaço privilegiado de encontro, negócio, lazer e de comes e bebes.

Foto: Facebook de VianaFestas

Foto: Facebook de VianaFestas

Foto: Facebook de VianaFestas

Foto: Facebook de VianaFestas

A XII Feira Medieval de Viana do Castelo, que começou na quinta-feira e termina domingo, pretende ser um espaço de animação e convívio, criado com o objetivo de dar a conhecer ao público caraterísticos da Idade Média.

Foto: Facebook de VianaFestas

Foto: Facebook de VianaFestas

Foto: Facebook de VianaFestas

Foto: Facebook de VianaFestas

Foto: Facebook de VianaFestas

Foto: Facebook de VianaFestas

Foto: Facebook de VianaFestas

Foto: Facebook de VianaFestas

Foto: Facebook de VianaFestas

Foto: Facebook de VianaFestas

Foto: Facebook de VianaFestas

Foto: Facebook de VianaFestas

“É intenção que a Feira retrate acontecimentos ou tradições de carácter local ou regional, fundamentados em documentação ou outros elementos da história local. Nestes cinco dias de Feira estarão presentes”, lê-se numa nota de divulgação da organização.

Programa

DESCARREGAR >

 

Continuar a ler

Viana do Castelo

Detido suspeito de roubar restos mortais de Bartolomeu dos Mártires de igreja em Viana

Suspeito de 25 anos

em

Foto: DR / Arquivo

A Polícia Judiciária (PJ) de Braga deteve um homem de 25 anos suspeito por furto qualificado do relicário com os restos mortais do beato Bartolomeu dos Mártires, que foi recuperado na quinta-feira, em Viana do Castelo, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a PJ de Braga adiantou hoje que a peça de arte sacra “subtraída e já recuperada continha uma vértebra que se reputa pertencer ao arcebispo frei Bartolomeu dos Mártires, relíquia considerada de grande valor sentimental e objeto de grande devoção religiosa na diocese de Viana do Castelo”.

Restos mortais de Bartolomeu dos Mártires roubados de igreja de Viana

O homem, de 25 anos, “presumível autor de um furto qualificado de obra arte sacra foi detido ao final da tarde de quinta-feira e vai ser presente a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas”.

A PJ acrescentou que “o furto ocorreu durante a tarde” de terça-feira, na Igreja de São Domingos, na freguesia de Monserrate, em Viana do Castelo.

O alerta para o desaparecimento da relíquia foi comunicado à PSP local na terça-feira, cerca das 16:30. Por envolver uma peça de arte sacra, o caso foi comunicado à PJ de Braga, que tomou conta da investigação.

Bartolomeu dos Mártires (Lisboa, 1514; Viana do Castelo, 1590). Foto: Wikipedia

Na altura, contactado pela Lusa, o pároco da Igreja de São Domingos, Vasco Gonçalves, referiu que o relicário roubado, em metal dourado, “não tem grande valor comercial, mas o que contém no seu interior, a ossada do frei Bartolomeu dos Mártires, é de valor incalculável”.

“É incalculável pela devoção profunda das gentes da ribeira e da cidade de Viana do Castelo. Frei Bartolomeu dos Mártires é uma referência. Foi como se nos roubassem um bocado de nós próprios”, lamentou.

Em 2016, o Papa Francisco autorizou a canonização do beato Bartolomeu dos Mártires sem a atribuição de um milagre, processo que ainda não culminou.

Bartolomeu dos Mártires foi declarado venerável, a 23 de março de 1845, pelo Papa Gregório XVI e beato, a 04 de novembro de 2001, por João Paulo II.

O beato nasceu em Lisboa, em maio de 1514, e entrou na Ordem Dominicana em 11 de novembro de 1528, tendo sido eleito arcebispo de Braga em 1559. Morreu em Viana do Castelo a 16 de julho de 1590.

Em Viana do Castelo ficou conhecido por ter mandado construir o Convento de Santa Cruz – depois designado de São Domingos, tal como a igreja contígua -, mas sobretudo pela sua dedicação aos pobres. Renunciou como arcebispo em 23 de fevereiro de 1582 e recolheu-se no convento que mandou construir em Viana do Castelo, onde morreu a 16 de julho de 1590.

Bartolomeu dos Mártires foi sempre apelidado pelo povo como o “arcebispo santo, pai dos pobres e dos enfermos” e insistiu, em vida, na deposição dos seus restos mortais naquele convento, numa altura em que a diocese local ainda não existia, sendo liderada por Braga.

Na segunda-feira, a mesma igreja foi alvo de uma tentativa de assalto, tendo a imagem de Nossa Senhora das Dores, “muito antiga”, sido “danificada”.

Na tentativa de assalto de segunda-feira, uma das sete espadas da imagem de Nossa Senhora das Dores foi arrancada para ser utilizada na abertura da caixa das esmolas e dos lampadários e acabou partida, obrigando ao seu restauro.

A imagem danificada pertencia à antiga igreja de Monserrate criada em 1621 e, entretanto, extinta em 1916.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares