Seguir o O MINHO

Alto Minho

6º Mercado das Artes da CAL toma conta das ruas de Ponte de Lima

em

A Comunidade Artística Limiana (CAL) volta novamente à rua para apresentar aquela que é já a sexta edição do Mercado das Artes. Este certame, criado para levar ao exterior o trabalho que a associação desenvolve durante o ano, segue os contornos dos anos anteriores, mas procura, em 2015, aproximar-se mais ainda da comunidade, levando quer espectáculos, quer exposições, a locais menos habituados a recebê-los.
Programa do Mercado das Artes

A começar pela música montou-se um programa ecléctico, abrangendo variados géneros e expressões:

Na sexta-feira, dia 17, enquanto os convidados desfrutam do verde de honra, os Opus Quatro abrem as hostilidades com um reportório de música clássica. No que ao serão diz respeito, pelas 23:00 horas, Éme, fundador da editora/comunidade Cafetra — que recentemente viu o seu nome chegar além-fronteiras com a edição de “Alfarroba”, segundo disco da dupla Pega Monstra, por parte da britânica Upset The Rhythm —, estreia-se em solo limiano com as canções tímidas da sua folk-pop vagamente sonhadora de “Último Siso”. Pouco depois, quando o relógio der o toque de meia-noite, também os Tresor & Bosxh actuarão pela primeira vez em Ponte de Lima. Provenientes da vibrante cena rock barcelense, Tiago Rosendo e Ricardino Lomba navegam agora por ondas electrónicas, nunca esquecendo, contudo, o lado orgânico, lembrando a espaços os defuntosDarkside.

No sábado, 18, a CAL sai então à rua, atravessa a ponte e instala-se no Largo da Alegria para um concerto de jazz. Às 21:00 horas, Miguel Ângelo, líder do Quarteto a quem empresta o nome, apresenta as composições originais de “Branco”, editado pela Porta-Jazz, para o público que se reunir no bonito espaço da vila de Arcozelo. Assim que estes terminarem a sua actuação, já os Farra Fanfarra estarão a preparar-se para arrastar o auditório de volta à margem sul do Lima, para uma viagem até ao antigo quartel dos bombeiros, ao som de outras viagens; das planícies sul-americanas até às alturas dos balcãs, sem esquecer toda a inspiração (e transpiração) do groove mediterrânico.

As noites de sexta-feira e sábado acabarão inevitavelmente ao som dos DJs da casa, esperando-se o habitual caldeirão de influências nos seus sets, uns mais rock, outros mais electrónicos, mas todos de índole festiva- Integradas no programa estão também as diversas exposições, da pintura à escultura, quer na própria sede, quer em espaços limianos aderentes.

Destaque também para o Workshop de Yoga, no sábado, às 11:00 horas, porque os corpos agitados ao som dos concertos precisarão de relaxar, e nada melhor que deixar essa árdua tarefa a cargo de alguém qualificado.

Ainda no sábado, os Pequenos Actores do Lima apresentam as peças “A Visão” e “O Banco do Jardim” na Loja Rural.

No domingo, último dia do Mercado das Artes, o Auditório da Câmara Municipal recebe a Extensão Oficial do “Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema”. Às 16:00 horas têm início as “Curtinhas”, sessões destinadas aos mais jovens, e pelas 18h começa a ser projectado o best of daquilo que se passou na casa mãe.

Destaque para o premiado Kung Fury, curta-metragem rodada com o apoio dos próprios fãs através da plataforma Kickstarter, num estilo kitsch que não tem deixado indiferente a sempre feroz crítica cinematográfica.

Música

Apresentação das bandas que vão compôr os concertos do Mercado das Artes 2015

Posted by Associação Cultural CAL – “Comunidade Artística Limiana” on Sexta-feira, 10 de Julho de 2015

Populares