Seguir o O MINHO

Desporto

600 participantes de dez países na maratona “extrema” de Sistelo

Em Arcos de Valdevez

em

Foto: Divulgação / Nelson Costa

No passado domingo, dia 20 de outubro, realizou-se a 2.ª edição da Sistelo Extreme Marathon, um projeto da Carlos Sá Nature Events®, em parceria com o Município de Arcos de Valdevez e Junta de Freguesia de Sistelo, que levou até a aldeia de Sistelo cerca de 600 participantes oriundos de 10 países.

Praticamente todos os percursos decorreram dentro do Munícipio de Arcos de Valdevez, um dos 5 que integra a área do único Parque Nacional do país – Peneda- Gerês -, classificado como Reserva Mundial da Biosfera pela UNESCO em 2009.

Na prova rainha, a Eco Marathon 42Km, foi Germano Figueira quem levou a melhor, com 3h30m12s. Daniel Costa do Clube de Atletismo de Fafe, com 3h40m05s, ficou em segundo ligar e Bruno Maia fechou a tríade do pódio masculino desta distância, com um tempo de 3h41m10s. Nas mulheres, Juliana Onuma da Viana Running, conquistou o lugar mais alto do pódio com 4h34m07s, a 11 minutos da Maria Lopes, que conquistou o segundo lugar dos femininos em 4h45m53s. A atleta da Relative Team, Karolina Janosikova chegou em terceiro lugar com 4h45m56s.

Já na Eco Race 32Km foi Rúben Veloso da Academia Desportiva de Arcos de Valdevez quem arrebatou o primeiro lugar, em 2h25m34s. Gonçalo Cruz, individual, com um tempo de 2h41m04s classificou-se em 2º lugar e Fernando Carvalho da Nós Acreditamos, com 2h50m03s ocupou o último lugar do pódio. Gabriela Pereira foi a primeira das mulheres a cortar a linha de chegada com 3h24m14s, seguida da segunda classificada, a atleta da Academia Desportiva de Arcos de Valdevez, Paula Costa, que terminou o percurso em 3h29m49s. Fechou a tríade do pódio a atleta Maria Marinho, do Viana Running com 3h41m10s.

Na Eco Half Marathon 21km, Duvernet Pierre foi o primeiro, com um tempo de 1h34m38s, com uma vantagem de apenas alguns segundos em relação ao segundo classificado, o Eusébio Fernandes do Clube de Atletismo de Fafe que terminou em 01h35m11s. Filipe Sousa foi o terceiro a atravessar a meta, com um tempo de 1h36m55s. A atleta do Viana Running Cristina Iglesias foi a primeira mulher a cortar a meta, conquistando assim o mais alto lugar no pódio feminino, com um tempo de 1h53m33s. A atleta Helena Sousa também do Viana Running classificou-se em segundo lugar com 1h54m04s e, aproximadamente um minuto depois, chegou Joana Fernandes do Kuafit que fechou o pódio das mulheres.

Por fim, na Eco Race 13km o pódio masculino foi composto por Pedro Pontes da Seri Trail Team com 1h06m30s, José Miranda com 1h06m32s e Rafael Morais com 1h07m19s. No setor feminino foram as atletas Cristiana Ferreira com 1h23m10s, Diana Costa com 1h29m11s e Nathalie Afonso da Academia Desportiva de Arcos de Valdevez com 1h29m46s, que ocuparam os lugares mais altos do pódio.

O evento contou ainda com uma caminhada solidária de 7km cujos fundos reverteram para os Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez, honrando desta forma o trabalho excepcional desta grande instituição.

Anúncio

Futebol

“Braga vai lutar com o Sporting pelo 3.º lugar”

José Marafona

em

Foto: DR / Arquivo

“O Braga vai lutar com o Sporting pelo terceiro lugar”. Quem o diz é o antigo guarda-redes do SC Braga, José Marafona, herói da Taça de Portugal de 2016, em declarações à Rádio Renascença.

“É preciso que continuem a manter o nível elevado. Se assim for, é possível que o Braga aproveite a época instável do Sporting e lutem, ambos, pelo terceiro lugar”, justifica.

O guardião que, no início da época, saiu do clube da capital do Minho para jogar no Alanyaspor, da Turquia, sublinha que, na sua opinião, em Portugal apenas Benfica e FC Porto irão lutar pelo título de campeão.

“A I Liga está renhida, competitiva e com muito equílibrio entre as equipas. Candidatos ao título apenas dois, FC Porto e Benfica”, defende.

Foto: Divulgação / Arquivo

Com 12 golos sofridos nos onze jogos disputados, Marafona é totalista na baliza do seu novo clube, atual quarto classificado do campeonato turco, com 19 pontos, a dois do líder.

O guarda-redes de 32 anos, em declarações à mesma rádio, diz ter o “sonho” de jogar o EURO 2020 por Portugal.

Continuar a ler

Futebol

Cristiano Ronaldo sem limitações no primeiro treino de Portugal

Seleção Nacional

em

Foto: Divulgação / Arquivo

A seleção portuguesa de futebol fez hoje o primeiro treino de preparação para o embate de quinta-feira com a Lituânia, do Grupo B de apuramento para o Euro2020, numa sessão em que Cristiano Ronaldo participou, aparentemente, sem limitações.

Na Cidade do Futebol, em Oeiras, nos primeiros 15 minutos do treino, que foram abertos à comunicação social, o capitão da seleção nacional ‘aqueceu’ juntamente com os restantes companheiros e, nesse período, mostrou estar sem qualquer problema físico.

Ronaldo foi substituído nos últimos dois jogos da Juventus e o técnico da formação italiana, Maurizio Sarri, chegou a afirmar que o português estaria com um problema num dos joelhos.

No arranque do treino, o selecionador Fernando Santos contou com todos os 24 jogadores convocados, que realizaram os habituais exercícios de ‘aquecimento’, com e sem bola. Neste período, os três guarda-redes, como é habitual, trabalharam à parte.

Após o almoço, a comitiva lusa viaja até ao Algarve, onde na quinta-feira defronta a Lituânia, às 19:45, num encontro que terá arbitragem do francês Ruddy Buquet. Três dias depois, os campeões europeus jogam no Luxemburgo, na despedida do Grupo B.

O agrupamento é liderado pela Ucrânia (19 pontos, em sete jogos), seguido por Portugal (11, em seis), Sérvia (10, em seis), Luxemburgo (quatro, em seis) e Lituânia (um, em sete).

Em caso de vitória nos dois últimos jogos, Portugal assegura o segundo lugar do grupo e o apuramento direto para a fase final do próximo Europeu, independentemente dos resultados obtidos pela Sérvia.

Continuar a ler

Futebol

Portugal-Lituânia: Pode haver festa no Algarve

Seleção Nacional

em

Foto: Divulgação / Arquivo

Portugal pode na quinta-feira garantir a oitava presença em fases finais de Europeus de futebol, sétima consecutiva, caso vença a Lituânia, no Algarve, e a Sérvia não consiga triunfar na receção ao Luxemburgo, no grupo B de apuramento.

É preciso recuar até 1992, na competição que decorreu na Suécia, para encontrar a última fase final de um Europeu que não teve a participação da seleção lusa, que tem tudo para estar no Euro2020, e, pela primeira vez, como detentora do título.

Portugal pode já garantir no Algarve um lugar na fase final, caso vença a Lituânia, um triunfo que é obrigatório, já que a Sérvia segue na perseguição à seleção nacional, somando apenas menos um ponto que a formação lusa no agrupamento.

A presença de Portugal no próximo Europeu, que vai decorrer em vários países, será a sétima seguida, oitava no total, num cenário bem diferente do vivido nos anos 1960 e 1970, em que a formação das ‘quinas’ não conseguia juntar-se à ‘nata’ do futebol do ‘Velho Continente’.

Foi preciso esperar até 1984 e, à sétima tentativa, Portugal finalmente ‘carimbou’ a tão aguardada qualificação, tendo dado nas vistas em França, em que terminou no terceiro lugar.

Tudo voltou ao ‘antigamente’, no Euro1988 e Euro1992, com equipa lusa a ficar pela fase de qualificação, mas, a partir de 1996, Portugal agarrou-se definitivamente às fase finais europeias.

Em Inglaterra, sob o comando de António Oliveira, Portugal chegou aos quartos de final e, quatro anos depois, já com Humberto Coelho, numa organização conjunta de Bélgica e Holanda, repetiu a presença numas meias-finais.

Com entrada direta no Euro2004, como organizadora, a seleção nacional viveu a sua primeira final, acabando por cair perante a Grécia (1-0), no Estádio da Luz, com Luiz Felipe Scolari, que não conseguiu repetir o feito em 2008, na Áustria e Suíça, ficando pelos ‘quartos’.

Com Paulo Bento, Portugal caiu pela terceira vez nas ‘meias’, em 2012, na Ucrânia e Polónia, mas, quatro anos depois, com Fernando Santos, viveu o maior momento da sua história, quando conquistou o troféu, em França.

Caso confirme a qualificação, Portugal vai ter a sua 10.ª fase final seguida, contabilizando campeonatos do mundo, e Fernando Santos vai reforçar o seu estatuto de treinador ‘anti-férias’, já que desde 2016 ‘estragou’ sempre os verões dos jogadores da seleção lusa.

Além do Euro2016 e do Mundial2018, com Fernando Santos, Portugal esteve ainda na Taça das Confederações, em 2017, na Rússia, e, já este ano, na primeira edição da fase final da Liga das Nações, que venceu, no Porto e Guimarães.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares