Seguir o O MINHO

Desporto

600 participantes de dez países na maratona “extrema” de Sistelo

Em Arcos de Valdevez

em

Foto: Divulgação / Nelson Costa

No passado domingo, dia 20 de outubro, realizou-se a 2.ª edição da Sistelo Extreme Marathon, um projeto da Carlos Sá Nature Events®, em parceria com o Município de Arcos de Valdevez e Junta de Freguesia de Sistelo, que levou até a aldeia de Sistelo cerca de 600 participantes oriundos de 10 países.

Praticamente todos os percursos decorreram dentro do Munícipio de Arcos de Valdevez, um dos 5 que integra a área do único Parque Nacional do país – Peneda- Gerês -, classificado como Reserva Mundial da Biosfera pela UNESCO em 2009.

Na prova rainha, a Eco Marathon 42Km, foi Germano Figueira quem levou a melhor, com 3h30m12s. Daniel Costa do Clube de Atletismo de Fafe, com 3h40m05s, ficou em segundo ligar e Bruno Maia fechou a tríade do pódio masculino desta distância, com um tempo de 3h41m10s. Nas mulheres, Juliana Onuma da Viana Running, conquistou o lugar mais alto do pódio com 4h34m07s, a 11 minutos da Maria Lopes, que conquistou o segundo lugar dos femininos em 4h45m53s. A atleta da Relative Team, Karolina Janosikova chegou em terceiro lugar com 4h45m56s.

Já na Eco Race 32Km foi Rúben Veloso da Academia Desportiva de Arcos de Valdevez quem arrebatou o primeiro lugar, em 2h25m34s. Gonçalo Cruz, individual, com um tempo de 2h41m04s classificou-se em 2º lugar e Fernando Carvalho da Nós Acreditamos, com 2h50m03s ocupou o último lugar do pódio. Gabriela Pereira foi a primeira das mulheres a cortar a linha de chegada com 3h24m14s, seguida da segunda classificada, a atleta da Academia Desportiva de Arcos de Valdevez, Paula Costa, que terminou o percurso em 3h29m49s. Fechou a tríade do pódio a atleta Maria Marinho, do Viana Running com 3h41m10s.

Na Eco Half Marathon 21km, Duvernet Pierre foi o primeiro, com um tempo de 1h34m38s, com uma vantagem de apenas alguns segundos em relação ao segundo classificado, o Eusébio Fernandes do Clube de Atletismo de Fafe que terminou em 01h35m11s. Filipe Sousa foi o terceiro a atravessar a meta, com um tempo de 1h36m55s. A atleta do Viana Running Cristina Iglesias foi a primeira mulher a cortar a meta, conquistando assim o mais alto lugar no pódio feminino, com um tempo de 1h53m33s. A atleta Helena Sousa também do Viana Running classificou-se em segundo lugar com 1h54m04s e, aproximadamente um minuto depois, chegou Joana Fernandes do Kuafit que fechou o pódio das mulheres.

Por fim, na Eco Race 13km o pódio masculino foi composto por Pedro Pontes da Seri Trail Team com 1h06m30s, José Miranda com 1h06m32s e Rafael Morais com 1h07m19s. No setor feminino foram as atletas Cristiana Ferreira com 1h23m10s, Diana Costa com 1h29m11s e Nathalie Afonso da Academia Desportiva de Arcos de Valdevez com 1h29m46s, que ocuparam os lugares mais altos do pódio.

O evento contou ainda com uma caminhada solidária de 7km cujos fundos reverteram para os Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez, honrando desta forma o trabalho excepcional desta grande instituição.

Anúncio

Futebol

Consórcio de claques protesta em Braga contra horários da Liga

Elementos de claques afetas ao Vitória SC, SC Braga, FC Vizela e CD Aves, uniram-se em protesto, este sábado, em Braga, contra os horários definidos pela Liga de Futebol. O objetivo comum dos rivais passa pela colocação de mais jogos de futebol à tarde e ao fim de semana. A PSP foi chamada a serenar os ânimos, em frente ao Estádio Municipal de Braga, onde decorre a Final Four da Taça da Liga. Imagens: Redes Sociais

em

Elementos de claques afetas ao Vitória SC, SC Braga, FC Vizela e CD Aves, uniram-se em protesto, este sábado, em Braga, contra os horários definidos pela Liga de Futebol. O objetivo comum dos rivais passa pela colocação de mais jogos de futebol à tarde e ao fim de semana. A PSP foi chamada a serenar os ânimos, em frente ao Estádio Municipal de Braga, onde decorre a Final Four da Taça da Liga. Imagens: Redes Sociais

Continuar a ler

Futebol

Claudemir na Turquia

Assinou pelo Sivasspor

em

Foto: Divulgação

O médio brasileiro Claudemir já não conta para Rúben Amorim. O ex-atleta do SC Braga, de 31 anos, anunciou este sábado que é reforço do Sivasspor, clube que lidera a liga turca.

Titular na época 2018/2019 sob os comandos de Abel Ferreira, cumpriu 38 jogos e marcou dois golos.

Com Sá Pinto, já nesta temporada, alinhou por cinco vezes na Liga: Foi titular nas três primeiras jornadas, vitória (3-1) na receção ao Moreirense, derrota (2-1) em Alvalade e empate (1-1) com o Gil Vicente.

Voltou a jogar na sexta jornada, mas foi substituído ao intervalo, no empate (2-2) caseiro do Braga frente ao Marítimo. Na jornada seguinte entrou aos 71 minutos, na vitória (1-0) em casa frente ao Portimonense.

Cumpriu 17 minutos na Taça da Liga, na vitória (2-1) frente ao Marítimo e fez o último jogo pelo Braga a 19 de outubro de 2019, na vitória (3-1) frente ao Leça, para a Taça de Portugal, jogando os 90 minutos.

O contrato com os turcos é válido para uma época e meia.

“Muito feliz por este novo desafio e motivos em poder jogar nesta grande equipa. Agradeço a todos pelo carinho e principalmente a Deus por me dar mais essa alegria”, escreveu na rede social Instagram.

Natural do estado da Baía, iniciou a carreira na formação do Palmeiras, imigrando para a Holanda aos 19 anos, o que lhe garantiu dupla nacionalidade, enquanto alinhou no Vitesse, por duas temporadas e meia, marcando dez golos em oitenta jogos.

Jogou ainda no Copenhaga FC (Dinamarca), durante quatro épocas e meia, três temporadas no Clube Bruge (Bélgica) e cumpriu uma temporada no Al-Ahli (Arábia Saudita), antes de rumar a Braga, em 2018.

Continuar a ler

Futebol

Treinador do Santa Clara elogia percurso do Famalicão

I Liga

em

Foto: DR / Arquivo

O treinador do Santa Clara disse, este sábado, que “é preciso calma” para o Santa Clara conseguir a manutenção da I Liga, assegurando que a equipa “está confiante”, apesar de ter vencido apenas um jogo nos últimos dez.

“As pessoas têm muito no subconsciente aqui de que o Santa Clara nunca conseguiu ficar três épocas seguidas na I liga. Vai conseguir, é preciso calma. Seja com 34, 37, 38, não interessa, vai conseguir. Sabemos qual é o caminho que temos, a equipa está confiante e sabe o que vale”, afirmou João Henriques, na conferência de imprensa que serve de antevisão ao próximo encontro da I Liga frente ao Famalicão.

Nos últimos dez encontros para o campeonato, os açorianos apenas venceram um encontro (vitória por 1-0 frente ao Desportivo das Aves), empatando três (frente a Marítimo, Portimonense e Vitória de Setúbal) e perdendo os outros seis (diante de Vitória, Rio Ave, Sporting, Boavista, Benfica e Braga).

João Henriques mostrou-se confiante de que as “coisas naturalmente vão acontecer”, reconhecendo que existiram jogos onde a equipa poderia “ter feito mais”.

“Reconhecemos que houve jogos que podíamos ter feito mais e que não fomos competentes e outros em que fomos competentes e não tivemos sorte. Mas o futebol é pródigo nessas coisas”, assinalou.

O técnico dos açorianos realçou que o processo de crescimento do clube vai ter “altos e baixos” e mostrou a intenção de que a segunda volta traga tranquilidade à sua equipa.

“Queremos muito que este ciclo da segunda volta seja positivo para nós. Para de uma vez por todas a equipa tranquilizar-se na sua qualidade de jogo, para ser mais consistente, que é isso que nós queremos”, destacou.

Sobre o próximo adversário, o treinador de 47 anos destacou que se trata de uma equipa que coletivamente está “desinibida”, com “jovens de grande valor” e jogadores de “muita qualidade”, elogiando o trabalho “muito bom” realizado por João Pedro Sousa.

Apesar de prever que o Famalicão irá continuar a fazer um “bom campeonato com toda a certeza”, João Henriques mostrou-se confiante na conquista dos três pontos, frente a uma equipa que nos últimos dez jogos soma três vitorias (frente a Boavista, Vitória de Setúbal e Gil Vicente), quatro derrotas (diante Benfica, Tondela, Portimonense e Porto) e três empates (com o Marítimo, Moreirense e Braga).

“Esperamos que sejamos agora felizes na deslocação a Famalicão e conquistar lá os três pontos. Sabendo antemão que é uma equipa que é a sensação deste campeonato e que tem passado de sensação a certeza”, apontou.

Segundo o Observatório do Futebol, em Portugal, o Santa Clara é a segunda equipa que menos faltas faz por jogo (média de 12,94), apenas superado por Benfica (12,38) e à frente do Sporting (13,38).

O treinador dos açorianos frisou que no último jogo, frente ao Vitória de Guimarães (derrota por 1-0), a equipa já foi “mais intensa e mais agressiva”, não para dar “pancada a ninguém”, mas para ser mais eficaz na “disputa do duelo individual”.

“Todas as equipas que são mais agressivas com e sem bola estão mais perto de vencer. Equipas passivas, sem bola e com bola, não fazem mossa a ninguém. Nós crescemos muito nesse aspeto no último jogo e queremos dar continuidade a isso”, apontou.

João Henriques assinalou ainda que “eventualmente” chegará mais um jogador para a frente de ataque e um terceiro guarda-redes durante este ‘mercado de inverno’.

Santa Clara, 14.º classificado com 17 pontos, defronta o Famalicão, terceiro com 31, no próximo domingo, às 14:00, no estádio municipal de Famalicão, na 18.ª jornada da I Liga de futebol.

Continuar a ler

Populares