Seguir o O MINHO

Braga

310 anos do Regimento de Cavalaria de Braga com programa para a população

Gala Equestre Solidária e a Cerimónia Militar marcam as comemorações

em

Foto: DR

O Regimento de Cavalaria nº6 (RC6) volta a abrir-se à comunidade Bracarense para celebrar o seu 310º aniversário. Do programa, que integra também, as comemorações do Dia da Arma de Cavalaria, destaca-se a Gala Equestre Solidária e a Cerimónia Militar.


Hoje, o Altice Forum Braga recebe a Gala Equestre Solidária, cuja receita de bilheteira reverte a favor da APCB – Associação de Paralisia Cerebral de Braga. O espectáculo tem início às 21:30 e conta com a participação da Escola Portuguesa de Arte Equestre, da Reprise da Escola de Mafra e da Charanga a cavalo da GNR.

Já a Cerimónia Militar, que será presidida pelo Chefe do Estado-Maior do Exército, irá decorrer em plena Praça do Município, às 11:30 de Domingo, e será um momento do RC6 dar a conhecer o seu trabalho e capacidade militar aos Bracarenses.

“Para o Município de Braga é um privilégio colaborar e acolher estas iniciativas. Temos tido uma relação de grande parceria e colaboração com o RC6, e é com bons olhos que nos associamos a estas celebrações que, certamente, terão enorme envolvência da comunidade Bracarense”, referiu Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga.

Por seu turno, o comandante do RC6, Coronel de Cavalaria José Talambas, destacou a intenção de envolver a comunidade nas comemorações do Regimento, para que esta não fosse uma cerimónia dentro de portas.

“O Regimento é uma unidade aberta. É uma instituição que faz parte da comunidade e é com muita satisfação que abrimos as portas do Regimento e realizamos as comemorações no centro de Braga”, salientou, destacando a forte colaboração institucional entre o Regimento de Cavalaria e a Autarquia Bracarense.

Criado em Chaves em 1709, com o nome de Regimento de ‘Dragões de Trás-os-Montes’, o RC6 chega a Braga em 1808, com a reorganização do Exército para fazer face às invasões Francesas.

Mais tarde, em 1979, o Regimento de Cavalaria N.º 6 passa a utilizar as instalações do então extinto Regimento de Infantaria n.º 8, fixando-se, a partir dessa data, nas actuais instalações do Quartel do Areal.

Anúncio

Braga

Dois feridos após incêndio num anexo agrícola em Vila Verde

Em Cervães

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Duas pessoas foram transportadas para o Hospital de Braga na sequência de um incêndio num anexo agrícola, em Cervães, concelho de Vila Verde, disse a O MINHO fonte oficial do Comando Distrital de Operações e Socorro de Braga.

O incêndio, com origem desconhecida, deflagrou num curral de animais junto a uma habitação na freguesia de Cervães, causando ainda danos materiais. Coelhos e galinhas também foram atingidos pelas chamas acabando por morrer.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Para o local foram acionados 24 operacionais e oito viaturas da corporação dos Bombeiros de Vila Verde que rapidamente procederam à extinção das chamas.

O alerta foi dado pouco antes da meia-noite deste sábado.

A GNR registou a ocorrência.

(notícia atualızada às 05h09)

Continuar a ler

Braga

Padre de Amares revoltado com quarentena depois de jantar com doente covid

Covid-19

em

Foto: Arquidiocese de Braga

As eucaristias nas paróquias de Dornelas, Figueiredo, Paredes Secas e Vilela, no concelho de Amares, estão suspensas desde o início de julho depois do pároco local ter sido aconselhado a permanecer em quarentena, ainda que um pouco contra sua vontade.

Através das redes sociais, o padre explica o motivo da quarentena forçada e fala de uma expectativa para que pudesse celebrar as eucaristias à porta fechada, que saiu gorada.

Conta que, no passado dia 27 de junho, jantou com um amigo que acusou positivo para covid-19. Quando o pároco tomou conhecimento da infeção do amigo, deslocou-se a uma unidade de saúde para fazer o teste de despistagem à doença, com o resultado a dar negativo.

Apesar de não estar infetado com o novo coronavírus, o sacerdote foi contactado pela delegação de saúde local para que cumprisse um período de isolamento profilático entre os dias 29 de junho e 12 de julho, face ao “perigo de contágio”.

“Afinal, qual seria o risco de fazer uma caminhada, dar uma volta de bicicleta, visitar a minha mãe (mantendo-me à distância como o faço desde março) ou até mesmo descer à Igreja para celebrar sozinho”, questionou o sacerdote através das redes.

O padre conta que, no dia 03 de julho, enviou um mail à delegação de saúde a pedir alteração das datas, por ter tido contacto com o infetado no dia 27, e não a 29. Todavia, não obteve resposta.

Visivelmente aborrecido por estar em quarentena, lamenta que, caso transgrida, corra em risco de crime de desobediência agravada.

O pároco vai mais longe a fala em “papalvos da República” que “alardoam” que “estamos num país livre”.

“Uma vergonha. A propalada liberdade importa para mendigar votos, branquear empregos e regalias, satisfazer interesses corporativos e partidários. O resto, somos carne para canhão”, desabafa o sacerdote, conhecido por alguns comentários mais polémicos nas redes sociais.

Continuar a ler

Braga

‘Velocidade furiosa’ em Braga. Condutor fura fila de quilómetros na variante do Cávado

Trânsito

em

Foto: Redes sociais

Um condutor furou a fila que se regista habitualmente ao final do dia na variante do Cávado, entre os concelhos de Braga e Vila Verde, à entrada de Prado, com o momento a ser registado em filmagem de telemóvel.

Não se sabe em que dia foram captadas as imagens mas estas foram agora divulgadas nas redes sociais, mostrando o condutor a seguir pela faixa que dá acesso a Vila Verde, com a fila para Prado já com uma dimensão considerável.

Na bifurcação, o condutor entra na via que segue pela EN 201, em direção a Ponte de Lima, utilizando a berma da faixa de rodagem para ultrapassar as dezenas de viaturas que se encontravam no ‘pára-arranca’.

Desconhece-se se o condutor foi sancionado pelas autoridades uma vez que cometeu várias infrações de trânsito.

Continuar a ler

Populares