Seguir o O MINHO

Ave

31 novos investimentos empresariais em Famalicão geram 894 novos empregos em 2 anos

em

O concelho de Vila Nova de Famalicão contabilizou, em dois anos, 31 novos investimentos empresariais que representam cerca de 90 milhões de euros e 894 novos postos de trabalho, indicou hoje a câmara.

Os números constam de um relatório sobre a atividade do Gabinete de Apoio ao Empreendedor de Vila Nova de Famalicão, criado há precisamente dois anos, e em causa estão os investimentos ao abrigo do Regulamento de Projetos de Investimento de Interesse Municipal que inclui benefícios dados às empresas.

Ainda de acordo com o relatório, estão atualmente em aberto 270 processos, relativos a propostas de empresários e empreendedores que contactaram o gabinete para serviços de consultoria que podem ir desde a oferta/procura de imóveis ao apoio à formulação de candidaturas ou no acesso a linhas de financiamento.

Esta é uma das vertentes do programa criado pelo executivo de Paulo Cunha que dá pelo nome de “Famalicão Made IN” que tem três eixos de atuação: o “Incubar” dedicado a novas ideias de negócio e desenvolvimento de ‘startups’, no âmbito do qual foram criadas incubadoras de empresas no concelho, o “Investir” que se traduz no Regulamento de Projetos de Investimento de Interesse Municipal, e o “Incentivar” que tem como estratégia “valorizar a dinâmica produtiva” do concelho.

Contabilizando as várias vertentes destes eixos, a câmara de Famalicão estima que tenham surgido 55 novas empresas no concelho e aponta ter em aberto 664 processos.

O balanço de dois anos de Gabinete de Apoio ao Empreendedor de Vila Nova de Famalicão dá ainda conta das parcerias criadas a longo deste programa, destacando-se, entre outras entidades, a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal e a Agência Nacional de Inovação.

Já na área do ensino e da investigação destacam-se o Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal, o Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes, o Instituto Universitário de Ciências da Saúde e a Universidade Lusíada e a Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional.

Jornadas dedicadas à inovação, oficinas, debates e conferências quer de âmbito nacional, quer internacional, bem como visitas a empresas e concursos de empreendedorismo, são outros aspetos descritos no relatório.

 

logo Facebook Fique a par das Notícias de Famalicão. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Anúncio

Ave

Jovem de 20 anos gravemente ferido em colisão em Cabeceiras de Basto

Acidente

em

Foto: DR

Uma colisão entre duas viaturas na Avenida Capitão Elísio de Azevedo, em Arco de Baúlhe, Cabeceiras de Basto, provocou esta tarde dois feridos, um deles grave.

A vítima em estado grave é um jovem de 20 anos, condutor de uma das viaturas, que capotou. Teve de ser desencarcerado, apurou O MINHO junto de fonte dos Bombeiros Cabeceirenses.

A outra vítima, considerada ferido ligeiro, é um homem de 54 anos, que seguia no mesmo automóvel, mas não teve necessidade de ser desencarcerado.

Os dois feridos foram transportados para o Hospital de Guimarães.

O alerta foi dado às 16:57.

No local estiveram os Bombeiros Cabeceirenses com nove elementos, duas ambulâncias e um veículo de desencarceramento, a Cruz Vermelha de Arco de Baúlhe com dois operacionais e uma viatura, a SIV de Fafe e a VMER de Guimarães.

A GNR de Cabeceiras de Basto registou a ocorrência.

Continuar a ler

Guimarães

UMinho na rota do futuro do ensino superior “pós-Covid”

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

Na próxima terça-feira, dia 26 de maio, na Universidade do Minho (UMinho), em Guimarães, vai ter lugar uma sessão da iniciativa “Skills 4 pós-Covid – Competências para o Futuro”, promovida pela Direção Geral do Ensino Superior (DGES), com apoio da UMinho. A iniciativa pretende mobilizar as instituições de ensino superior, mas também outras entidades públicas e privadas, para uma resposta conjunta aos desafios suscitados pela Covid-19.

A sessão, com início agendado para as 11h, decorrerá no Auditório Nobre, no campus de Azurém, em Guimarães, contará com intervenções do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, do Reitor da UMinho, Rui Vieira de Castro, do Pró-Reitor da UMinho, Manuel João Costa, de Mário Jorge Machado, CEO da Estamparia Adalberto, de António Carlos Rodrigues, CEO da Casais, e ainda de representantes da OCDE. Participarão na sessão professores e investigadores, empregadores, autarcas e estudantes.

O debate pretende “estimular uma rápida adaptação em práticas e abordagens de ensino, aprendizagem, trabalho e investigação, para melhor preparar a transição para o período pós-COVID-19″, refere o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES). A iniciativa, que visa identificar os principais constrangimentos, desafios e oportunidades trazidos pela pandemia, procura ao mesmo tempo antecipar o papel que as instituições de ensino superior terão no período pós Covid-19, fomentar novas abordagens no funcionamento e organização das mesmas e reforçar a resposta conjunta que os sistemas de ciência e ensino superior podem dar aos desafios criados.

Entre as iniciativas em debate destacam-se aquelas que visam empregar melhor, respondendo às necessidades específicas de diferentes segmentos de população alvo, desde os jovens recém-licenciados (23-35 anos de idade), aos profissionais à procura de formação complementar (35-55 anos de idade); fomentar a diversificação e especialização da oferta de ensino, conciliando a oferta de cursos e a introdução de práticas inovadoras de ensino e aprendizagem com as competências requeridas pelo mercado de trabalho; e alargar a base social do ensino superior, reforçando o desígnio de aumentar a qualificação formal da população portuguesa e, em particular, a participação de jovens de 20 anos no ensino superior dos atuais cerca de 50% para 60% até 2030.

De forma a garantir as normas de segurança recomendadas, nomeadamente o distanciamento físico entre os participantes na sessão, a capacidade do Auditório Nobre foi limitada.

Continuar a ler

Guimarães

Homem morre na A7 em Guimarães

Sentido Fafe-Guimarães

em

Foto: Ivo Borges / O MINHO

Um homem, de 56 anos, morreu ao final da tarde deste sábado na A7, ao quilómetro oito, em Guimarães, apurou O MINHO junto de fonte do CDOS de Braga.

A vítima, residente no Porto, seguia no sentido Fafe-Guimarães, entrando em despiste no troço que atravessa a união de freguesias de Abação e Gémeos.

Foto: Ivo Borges / O MINHO

Foto: Ivo Borges / O MINHO

Foto: Ivo Borges / O MINHO

Foto: Ivo Borges / O MINHO

Foto: Ivo Borges / O MINHO

Foto: Ivo Borges / O MINHO

Foto: Ivo Borges / O MINHO

A vítima mortal seguia com a esposa, que sofreu ferimentos.

No local estiveram os Bombeiros e a SIV de Fafe, apoiados pela VMER de Guimarães.

Segundo disse a O MINHO o comandante Paulo Ferreira, dos Bombeiros de Fafe, o homem poderá ter sofrido um ataque súbito, que terá provocado o despiste.

“A esposa disse-nos que estiveram esta tarde em passeio em Ribeira de Pena e que a vítima se tinha queixado de uma dor no peito”, indicou o responsável de comando.

Quando se deu o acidente o homem ainda estaria vivo, mas à chegada dos bombeiros já estava em paragem cardiorrespiratória, não sendo possível inverter a situação.

O trânsito esteve condicionado na faixa onde ocorreu o acidente.

O alerta foi dado cerca das 20:00 horas.

O destacamento de trânsito da GNR registou a ocorrência.

(notícia atualizada às 22h01 com declarações do comandante dos Bombeiros de Fafe)

Continuar a ler

Populares