Seguir o O MINHO

País

30 alunos portugueses vão ser astronautas por um dia (e experimentar gravidade zero)

Astronomia

em

Foto: NASA / Arquivo

A Agência Espacial Portuguesa lançou hoje um concurso para selecionar 30 estudantes para participarem num voo parabólico, em setembro, que simula como é ser astronauta e viver no espaço em gravidade zero.

O concurso ‘Zero-G Portugal – Astronauta por um dia’ destina-se a alunos que no próximo ano letivo frequentem entre o 9.º e 11.º anos, com idades entre os 14 e os 18, em escolas públicas, privadas, ou em regime de ensino doméstico.

Os alunos selecionados vão poder participar num voo parabólico, em setembro, a bordo de um Airbus da Novespace, em que podem experimentar as sensações vivenciadas pelos astronautas no espaço.

Estes voos, explica o diretor da agência citado em comunicado, foram criados para perceber como o corpo humano se podia adaptar a condições de gravidade zero, mas atualmente são considerados fundamentais para a investigação em microgravidade e para testar algumas experiências antes de as enviar para a estação espacial internacional.

“São também uma das formas usadas para treinar os futuros astronautas e é essa a experiência que queremos dar aos alunos portugueses”, acrescenta Hugo Costa.

O responsável explica que o objetivo da iniciativa é aproximar os jovens do espaço e motivar os alunos para uma formação e carreira não só nessa área, mas nas áreas da ciência, tecnologia, engenharia e matemática relacionadas com o setor espacial.

“Aproximando os jovens ao espaço, queremos contribuir para a sua decisão sobre o futuro, por exemplo, seguindo um percurso nessas áreas de estudo e, quem sabe, despertar a vocação de futuros astronautas”, sublinha Hugo Costa.

As candidaturas decorrem até 17 de abril e segue-se uma segunda fase com testes de perceção e interpretação do espaço. Na terceira fase, há testes físicos e depois uma entrevista.

De acordo com a responsável pelos projetos educativos da agência, Marta Gonçalves, o processo de seleção foi desenhado de forma a chegar a todos os estudantes do país, por um lado, e a “refletir, em parte, a seleção de astronautas, tendo em atenção várias componentes”.

Nesse processo, vão estar envolvidos a Ciência Viva e o Centro de Psicologia da Universidade do Porto.

Os finalistas serão também embaixadores da iniciativa na escola durante o próximo ano letivo, para partilhar a sua experiência com os colegas, “contribuindo para cultivar e estimular o interesse pelo espaço”, refere o comunicado.

EM FOCO

Populares