Seguir o O MINHO

Guimarães

24 refugiados perseguidos pelo Estado Islâmico chegaram a Guimarães

em

Famílias aterraram em Lisboa durante a tarde, provenientes da Grécia.Foto: Rui Gaudêncio/PÚBLICO

Guimarães já acolheu 43 refugiados

Chegaram esta segunda-feira a Guimarães sete famílias yazidi, num total de 24 pessoas, com necessidade de proteção internacional, devido às perseguições de que esta comunidade tem sido alvo por parte do auto-proclamado Estado Islâmico, quer na Síria, quer no Iraque, na zona de Mossul.

Após terem aterrado no aeroporto de Lisboa, provenientes da Grécia, as famílias foram recebidas nana cooperativa Fraterna, onde jantaram, antes de serem acolhidas por sete instituições: o Lar de Santa Estefânia, a Santa Casa da Misericórdia de Guimarães, a ADCL-Associação para o Desenvolvimento das Comunidades Locais, o Centro Social de Brito, o Arciprestado de Guimarães-Vizela, a Paróquia de Nossa Senhora da Oliveira e o Centro Social e Comunitário de Tabuadelo.

Instituições reuniram-se esta segunda-feira à tarde na Câmara de Guimarães. Foto: CM Guimarães

Inicialmente, segundo fonte da autarquia, estava prevista a chegada de mais uma família de seis pessoas, mas a sua viagem foi adiada por motivos de saúde.

“As famílias vão ficar instaladas em alojamentos cedidos por instituições da rede social do concelho de Guimarães, no âmbito do Plano de Ação denominado “Guimarães Acolhe”, assinado no dia 16 de março de 2016, do qual fazem atualmente parte 18 entidades”, refere o município liderado pelo socialista Domingos Bragança.

“Este acordo surgiu do imperativo humanitário sentido pela Câmara Municipal e pelas instituições que subscreveram este Plano em responder ao apelo do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e do governo português para prover o acolhimento de pessoas com necessidade de proteção internacional”, acrescenta.

“Com o programa “Guimarães Acolhe”, o Município de Guimarães propõe-se proporcionar condições de bem-estar e segurança às pessoas acolhidas, através dum forte envolvimento da sua rede social, desenvolvendo uma ação local convergente, integrada e articulada entre todos aqueles que nele participam”, conclui.

Segundo dados da autarquia, o “Guimarães Acolhe” tem recebido maioritariamente cidadãos jovens isolados do género masculino, com escolaridade básica e média. Até ao momento, e no âmbito deste Plano, acolheu 43 pessoas com necessidade de proteção internacional, oriundas do Estado da Eritreia, Etiópia, Síria e República Centro Africana, através de alojamentos cedidos pelo Centro Juvenil de S. José, Santa Casa da Misericórdia de Guimarães e Venerável Ordem Terceira de S. Francisco.

“Em Guimarães, os cidadãos acolhidos têm acesso a aulas de português e alguns destes cidadãos encontram-se inseridos no mercado de trabalho e/ou a fazer formação profissional. Sempre que possível, são proporcionadas outras atividades que contribuam para a sua integração social, como visitas a espaços históricos e eventos locais, participação em atividades culturais e desportivas e mais, recentemente, aulas de informática“, conta a autarquia em nota enviada às redações.

As 18 instituições que subscreveram o Plano de Ação da Câmara Municipal de Guimarães são as seguintes: ACES do Alto Ave, IEFP de Guimarães, Ordem dos Advogados – Delegação de Guimarães, Arciprestado de Guimarães-Vizela, Associação de Apoio à Criança, ADCL-Associação para o Desenvolvimento das Comunidades Locais, Associação de Solidariedade Social de Professores – Delegação de Guimarães, Paróquia da Oliveira, Casfig EM, Centro Juvenil de S. José, Centro Social de Brito, Centro Social da Irmandade de S. Torcato, Cruz Vermelha Portuguesa – Delegação de Guimarães, Fraterna, Lar de Santa Estefânia, Santa Casa da Misericórdia de Guimarães, Venerável Ordem Terceira de S. Francisco e o Centro Social e Comunitário de Tabuadelo.

Anúncio

Guimarães

Homem de 35 anos em estado grave após colisão em Guimarães

Em Creixomil

em

Um homem, com 35 anos, sofreu ferimentos graves na sequência de uma colisão frontal, ao início da noite deste domingo, na cidade de Guimarães.

A colisão ocorreu na Rua da Pisca, em Creixomil, provocando ainda ferimentos ligeiros num outro interveniente, um homem com 67 anos.

“Houve necessidade de desencarcerar a vítima mais nova”, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

No local, estiveram os Bombeiros de Guimarães com três viaturas e oito operacionais.

A equipa médica da VMER de Guimarães fez acompanhamento clínico do ferido grave até ao hospital local, para onde ambas as vítimas foram transportadas.

A PSP registou a ocorrência.

Continuar a ler

Guimarães

Encontrado telemóvel de homem desaparecido há 10 dias em Guimarães

Desaparecimento de Fernando ‘Conde’ envolto em mistério

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

As autoridades policiais recolheram, este sábado, o telemóvel de Fernando Conde, sexagenário desaparecido em Guimarães desde o passado dia 08 de janeiro. O aparelho foi encontrado num afluente do rio Ave, junto à Estrada Nacional 103, na freguesia de Barco, concelho de Guimarães.

Esta nova descoberta, feita pela Associação Portuguesa de Busca e Salvamento, pode trazer uma explicação para este desaparecimento, envolto em mistério desde o início, uma vez que o homem não sofria de quaisquer doenças nem estava deprimido.

Este domingo, a família irá realizar buscas com outros populares, junto ao rio Ave, para tentar encontrar o corpo de Fernando.

Familiares desconfiam que este estará no rio, embora as primeiras buscas realizadas por mergulhadores profissionais, na última semana, não tenham sido frutíferas.

Este sábado, os mergulhadores encontraram o telemóvel durante buscas onde existia o último registo de rede móvel do aparelho do desaparecido.

A Polícia Judiciária está com o caso, uma vez que não está descartada a hipótese de crime.

Continuar a ler

Guimarães

Ensaios abertos de Fado regressam a Guimarães

Associação Guimarães Fado

em

Foto: Divulgação

A Associação Guimarães Fado retomará este sábado os seus ensaios abertos para o Fado de Lisboa, foi hoje anunciado.

De entrada livre e gratuita, esta atividade recebe todos os interessados em cantar, tocar guitarra portuguesa e viola ou simplesmente assistir a uma ação que “claramente estimula a parceria e o dialogo entre as diversas gerações do Fado, tal como a solidariedade entre os diferentes estratos sociais sob o domínio da arte e cultura”. Os ensaios decorrem entre as 15:30 e as 18:30, no salão de chã Avô João, Avenida da República, em Caldas das Taipas.

(recorde abaixo a reportagem de Pedro Antunes Pereira e Paulo Jorge Magalhães)

Silêncio! Em Guimarães também se canta o fado

 

“Deste grupo informal e amador de participantes que se criou, surgiu um elenco musical que através do seu espetáculo (Os Amantes do Fado) divulga a sua arte e paixão ao Fado, em toda a região do Minho por entre restaurantes e auditórios”, pode ler-se em nota enviada.

Continuar a ler

Populares