Seguir o O MINHO

Futebol

17 mil viram SC Braga vencer ‘na raça’: “Parabéns aos nossos adeptos, para nós é fantástico”

SC Braga venceu ‘na raça’ e já só está a dois pontos da liderança

em

Declarações após o jogo da 21.ª jornada da I Liga de futebol entre SC Braga e Desportivo de Chaves (2-1), hoje disputado em Braga:

Abel Ferreira (treinador do Sporting de Braga): “Parabéns aos nossos adeptos, para nós é fantástico poder jogar com a casa muito bem composta, 17 mil pessoas, logicamente que nos ajuda muito.

Foto: Facebook de SC Braga

Hoje, passámos por dificuldades, e vamos ver as equipas que vão marcar golos a este Chaves, que é uma equipa muito bem organizada e orientada.

Cada vez é mais difícil ganharmos os nossos jogos, o Chaves veio à procura de pontos, de um erro nosso, o primeiro golo surge de uma perda de bola nossa, mas também preparámos a equipa para um cenário de desvantagem, sabíamos que iam recuar para uma linha defensiva de cinco, como fizeram nos dois últimos jogos.

A grande capacidade desta equipa é a de se adaptar ao contexto, ajustar as velas consoante o vento, não se faz bons marinheiros em mares calmos e hoje foi agitado.

(Adeptos pedem Braga campeão) Os objetivos estão muito bem definidos desde o início, dissemos que íamos lutar pelos quatro primeiros lugares, tudo o que eu disser agora não vai ser muito relevante, há muito ponto por disputar e isto só fecha em maio, mas podem contar connosco, em maio vamos ter o que merecermos, hoje merecemos ganhar, foi uma vitória justa da melhor equipa nos 90 minutos.

(Alterações decisivas) O Tiago Fernandes disse que me conhecia bem, mas esqueceu-se que eu sou mais velho que ele e conheço-o melhor ainda. As alterações visaram forçar a linha de cinco, depois, em vantagem, voltámos a ajustar as velas, fechando com o Palhinha.

Não vou projetar o futuro porque não sei, o momento do Braga é aqui e agora. Deixo um desafio aos adeptos: manter os 17 mil, ou 15 mil, seja a que horas for.

Festa nas bancadas, reviravolta no campo e o SC Braga já só está a dois pontos do FC Porto

(Dyego Sousa melhor marcador) Sim, parece estranho ser um jogador do Braga o melhor marcador, mas é fruto de um trabalho coletivo, este ano tem sido ele o nosso marcador de serviço, mas há muito trabalho durante a semana.”

Tiago Fernandes. Foto: DR/Arquivo

Tiago Fernandes (treinador do Desportivo de Chaves): “A substituição forçada do Lionn limitou-nos nesse aspeto, porque podíamos ter um trunfo para lançar na partida consoante o resultado, mas a equipa teve um comportamento muito bom ao longo dos 90 minutos. Sabíamos que o Braga ia estar por cima do jogo na posse de bola, mas, quando a recuperávamos, podíamos criar perigo e foi isso que fizemos.

Quando o Wilson Eduardo entrou, alterámos um pouco a nossa forma de jogar, porque o nosso lateral-direito ia estar mais aberto e com o Paulinho e o Dyego Sousa na área equilibrámos esse setor, mas, logo a seguir, sofremos o empate, num grande movimento do Dyego Sousa.

Depois, o segundo golo ‘matou’ a partida num momento em que estávamos bem, ainda tivemos o remate do Gallo e, se a bola tivesse entrado, o resultado mais justo teria sido o empate.

(A agressividade do Braga condicionou o Chaves?) A lesão do Lionn é uma entrada sem bola, o lance foi rápido, ainda não refleti sobre isso, tenho que analisar, [no segundo golo] não sei se é falta do Gallo, mas o Hugo Miguel fez uma boa arbitragem, um ou outro lance é difícil de ajuizar, mas o cartão amarelo podia ter sido mostrado mais cedo, mas não penso que foi por aí que perdemos o jogo.

(Vitórias de adversários diretos) Ainda faltam muitas finais até ao fim do campeonato, estamos a dois pontos da linha de água, temos que encarar os próximos jogos como hoje, como autênticas finais. O campeonato vai ser assim até ao final, estão sete, oito equipas a lutar pela manutenção, o Chaves é uma delas e temos que ganhar aos nossos adversários diretos para ficarmos na I Liga.”

Anúncio

Futebol

Vitória vence Santa Clara ao cair do pano

I Liga

em

Imagem via VSports

Um golo de João Pedro em período descontos garantiu hoje o triunfo do Vitória SC na receção ao Santa Clara (1-0), em jogo da 17.ª jornada I Liga portuguesa de futebol.

O avançado João Pedro, que tinha entrado na partida no decorrer da segunda parte, marcou aos 90+1 o único golo da partida, que permitiu ao Vitória manter a distância de dois pontos para o Sporting de Braga, que venceu na sexta-feira na deslocação ao FC Porto.

Com o triunfo de hoje, os vimaranenses estão em sexto lugar no campeonato, com 25 pontos, enquanto o Santa Clara mantém os 17 pontos, no 14.º lugar.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

Vitória SC – Santa Clara, 1-0.

Ao intervalo: 0-0.

Marcador:

1-0, João Pedro, 90+1 minutos.

Equipas:

– Vitória SC: Douglas, Victor Garcia, Tapsoba, Pedro Henrique, Florent, Pepê, André André (João Pedro, 73), Lucas Evangelista, Marcus Edwards (Rafa Soares, 90+4), Rochinha (Davidson, 73) e Léo Bonatini.

(Suplentes: Miguel Silva, Frederico Venâncio, Rafa Soares, Dénis Poha, João Carlos Teixeira, Davidson e João Pedro).

Treinador: Ivo Vieira.

– Santa Clara: Marco, Patrick, João Afonso, Fábio Cardoso, Mamadu Candé, Osama Rashid, Anderson Carvalho, Costinha (Nené, 90), Lincoln (César, 76), Carlos Júnior e Guilherme Schettine (Thiago Santana, 71).

(Suplentes: André Ferreira, César, Zaidu, Nené, Ukra, Zé Manuel e Thiago Santana).

Treinador: João Henriques.

Árbitro: Manuel Oliveira (AF Porto).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Tapsoba (28), Fábio Cardoso (30), Marco (65), Anderson Carvalho (66), Mamadu Candé (81), Victor Garcia (83), Osama Rashid (84) e Miguel Silva (90+2, no banco). Cartão amarelo para o treinador do Vitória de Guimarães, Ivo Vieira (80).

Assistência: 12.815 espetadores.

(em atualização)

Continuar a ler

Futebol

Governo “disponível” para reunir com Liga de futebol na próxima semana

Pirotecnia no desporto

em

Foto: Divulgação

O Governo, “através das áreas governativas da Administração Interna e do Desporto”, está “disponível” para reunir com a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) na próxima semana, disse hoje à Lusa fonte ministerial.

Fonte do Ministério da Administração Interna (MAI) explicou à Lusa que há disponibilidade para receber a LPFP “na próxima semana”, na sequência dos vários atos de pirotecnia verificados no Sporting-Benfica de sexta-feira, que os ‘encarnados’ venceram POR 2-0, após vários objetos como potes de fumo e tochas terem sido lançados para o relvado.

A mesma fonte adiantou ainda que tanto a data precisa como as horas da reunião terão ainda de ser acertadas entre ambas as partes, conjugando agendas de MAI, do Desporto e da Liga.

Já depois da vitória por 2-0 do líder da I Liga portuguesa de futebol, na 17.ª jornada, o presidente da LPFP, Pedro Proença, pediu uma reunião de urgência ao ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, além de ter “lamentado profundamente” o sucedido, em comunicado.

“Face aos últimos acontecimentos relacionados com os artefactos de pirotecnia que têm deflagrado nos estádios, com efetivo impacto no decorrer do jogo, e colocando, em muitas situações, em causa a integridade física e a segurança de adeptos de todas as idades, o futebol não vai ficar refém de um conjunto de pessoas que, sem rosto, mancham o nome dos clubes e dos seus fiéis e reais adeptos”, acrescentou a Liga.

Depois de mais este episódio, a Liga “exige que as revistas feitas aos adeptos na entrada para os estádios sejam mais rigorosas e eficazes, de forma a acabar, definitivamente, com a entrada de objetos perigosos e proibidos nos recintos desportivos”.

“Neste desiderato, o presidente da Liga, Pedro Proença, enviou, já no decorrer da presente semana, uma comunicação ao ministro da Administração Interna [Eduardo Cabrita], solicitando, com caráter de urgência, uma reunião para analisar a situação e encontrar medidas eficazes para combater este flagelo”, finaliza o comunicado da LPFP.

Continuar a ler

Futebol

Organização “confiante” em ‘final four’ da Taça da Liga sem incidentes em Braga

“Uma festa onde se possa estar em família”

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

O presidente da Liga de clubes garantiu hoje que a manifestação de polícias prevista para a ‘final four’ da Taça da Liga de futebol, a realizar-se em Braga na próxima semana, não põe em causa a segurança.

“Não, de todo. [essa manifestação de polícias] Só é bem demonstrativa de que a ‘final four’ já é, hoje, uma referência que até é utilizada para esses eventos e esses reconhecimentos”, respondeu Pedro Proença, quando questionado se o esquema de segurança poderia estar em causa.

O líder da Liga frisou que “esta competição está a ser preparada há mais de 300 dias pela Liga Portugal e, também, pelos responsáveis da Polícia de Segurança Pública”.

“Por isso, estamos muito confiantes que seja uma ‘final four’ sem qualquer tipo de incidentes”, reforçou, à margem da inauguração da ‘fan zone’, no centro da cidade minhota.

Pedro Proença não quis comentar o pedido de uma reunião de urgência ao ministro da Administração Interna, na sequência dos incidentes no encontro entre Sporting e Benfica, sexta-feira, da 17.ª jornada da I Liga, que os ‘encarnados’ venceram por 2-0, preferindo destacar que a ‘final four’ da Taça da Liga “é uma competição de festa e de inclusão, de apelo às famílias”.

“É disto que queremos fazer o futebol, uma festa onde as pessoas possam estar e festejar”, disse.

O líder da Liga de clubes deixou ainda uma palavra de agradecimento a Braga, que acolhe pelo terceiro ano consecutivo, e último, a fase final da competição.

Continuar a ler

Populares