Seguir o O MINHO

Região

Quarenta farmácias de Braga e Viana do Castelo em risco de fechar portas

Petição anda a circular pelo país a pedir medidas urgentes

em

Foto: DR

Quarenta farmácias nos Distritos de Braga e Viana do Castelo correram o risco de fechar portas, segundo dados fornecidos pela Associação Nacional de Farmácia. Em Braga foram identificadas 28 farmácias em situação difícil e em Viana do Castelo 12.

A Associação Nacional de Farmácias lançou há menos de duas semanas uma petição pública que defende um programa legislativo dirigido ao setor farmacêutico, para evitar o fecho de farmácias em situação mais frágil e para pedir igualdade no acesso de todos os portugueses aos medicamentos.

Segundo dados da associação do setor, a nível nacional são 679 as farmácias em risco, com processos de penhora e insolvência, que representam quase 25% da rede de mais de 2.900 farmácias.

Portalegre, Guarda, Santarém e Setúbal são os distritos onde 30% ou mais das farmácias estão em risco.

De acordo com os dados da Associação Nacional de Farmácias a que a agência Lusa teve acesso, Aveiro tem em risco 30 farmácias, Beja tem 15, Braga 28, Bragança sete, Castelo Branco dez, Coimbra 34, Évora cinco, Faro 34, Guarda 18, Leiria 28, Lisboa 189, Portalegre 16, Porto 81, Santarém 45, Setúbal 63, Viana do Castelo 12, Vila Real 17, Viseu 30, Açores seis e Madeira 11.

Ao assinar hoje uma petição para “Salvar as Farmácias”, as ordens dos Médicos e dos Farmacêuticos indicam que “subscrevem as preocupações dos promotores da iniciativa, que alertam para as dificuldades sentidas pela rede de farmácias e também para os problemas relacionados com as falhas de abastecimento de medicamentos”

Segundo a petição, foram reportadas 64 milhões de embalagens de medicamentos em falta nas farmácias só no ano passado.

“A austeridade sobre o setor do medicamento não pode ser eterna. É urgente salvar a rede de farmácias”, pede o texto da petição.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Região

Aviso amarelo devido à previsão de neve (Viana) e vento (Braga)

Aviso do IPMA

em

Neve em Castro Laboreiro. Foto: DR / Arquivo

Os distritos de Viana do Castelo e Braga encontram-se sob aviso amarelo, o terceiro mais grave, devido à previsão de queda de neve (acima dos 1000 metros), no caso do Alto Minho, e vento, que pode atingir os 100 km/h, no caso do Baixo Minho.

Segundo informação disponibilizada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), o alerta é válido até às 15:00 horas de amanhã, para Viana do Castelo, e até à meia-noite do mesmo dia, para Braga.

Segundo os meteorologistas, depois do calor e do tempo quente durante o fim de semana da Páscoa, o frio e a chuva estão de regresso. A probabilidade de chuva é de 100% entre segunda e quinta-feira, diminuindo entre sexta-feira e domingo.

Continuar a ler

Guimarães

45 anos do 25 de Abril em Guimarães comemorados até ao 1.º de Maio

Programação inclui música, espetáculos, exposições

em

Sons da Liberdade. Foto: Divulgação / CM Guimarães

As comemorações dos 45 anos do 25 de Abril assinalam-se em Guimarães com um conjunto de iniciativas, que se estendem ao longo deste mês, numa organização da Câmara Municipal com o Centro Infantil Cultural e Popular (CICP), Cineclube de Guimarães, Círculo de Arte e Recreio e Convívio – Associação Cultural e Recreativa, anunciou hoje a autarquia.

Numa nota enviada a O MINHO, o município refere que nos próximos dias as atividades intensificam-se no âmbito do programa “Abril com Cantigas do Maio”. Na quarta-feira, 24 de abril, decorrerá o já tradicional concerto “Sons da Liberdade”, com a Banda da Sociedade Musical de Pevidém, Grupo Coral de Ponte, Grupo Coral de Pevidém, Orfeão do CCD Coelima e Orfeão de Guimarães. Espetáculo tem início às 22h00, no grande auditório do Centro Cultural Vila Flor.

No dia 25 de abril, quinta-feira, acrescenta, decorrerá a sessão solene da Assembleia Municipal com início às 11:00 horas na Black Box da Plataforma das Artes e da Criatividade. À mesma hora, no Jardim da Alameda de S. Dâmaso tem início o concerto da Banda Musical de Caldas das Taipas. Da parte da tarde, às 16:00, está agendado um novo concerto no Jardim da Alameda designado “Traz Outro Amigo Também”, com a participação de Andreia Martins, Ção Pitada, Dino Freitas, Francisco Ferreira, João Teixeira, Kika Freitas, Luís Almeida e Patrícia Silva.

Entre as 15:00 e as 16:30 horas, na Casa da Memória, Gonçalo Fonseca dirige “Liberdade”, nova criação do Teatro Oficina que celebra a democracia e o 25 de abril. Na Sociedade Martins Sarmento, a partir das 17:30, será inaugurada a Exposição Evocativa a Virgínia Moura. O dia termina com a exibição do filme “Cinema e Censura”, às 21h30, no pequeno auditório do Centro Cultural Vila Flor.

Na sexta-feira, 26 de abril, realiza-se, ainda, o concerto “Por Terras do Zeca”, com início ás 21:30, no Centro Cultural Vila Flor no arranque de uma digressão que vai passar por várias cidades de Portugal.

No sábado, 27 de abril, irá decorrer o Sarau de Poesia “Vozes e Sons da Liberdade”, no Paço dos Duques. Às 16:00, inaugura-se a exposição “A Cerimónia do Adeus I O Funeral de Estado de Mário Soares visto pelos Fotógrafos”. Ainda no sábado, a partir das 17h:0, o Gabinete da Juventude (Rua da Rainha D. Maria II) recebe a iniciativa “Os Jovens e as Censuras: novos desafios das liberdades individuais”.

No domingo, 28 de abril, Gonçalo Fonseca orienta uma oficina plástica a partir das 11h00, a partir dos elementos criados para o espetáculo “Liberdade”. Às 16h00, segue-se um momento de leitura encenada “Livre com um Livro” no Centro Internacional das Artes José de Guimarães.

Na segunda-feira, 29 de abril, a Rádio Santiago transmite o debate “A importância da Rádio nos dias de hoje – e afinal: Video Killed the radio stars” a partir do Círculo de Arte e Recreio.

Na terça-feira, 30 de abril, a partir das 22:00, decorre no Largo da Oliveira o espetáculo “Grândolas de Todo o Mundo”, concerto integrado no Dia Internacional do Jazz, numa organização do Convívio.

Na quarta-feira, 01 de maio, a Rádio Fundação transmite o debate “Como vivemos a Liberdade de expressão nos dias de hoje, o que nos trouxe a Internet?”, a partir do Largo do Toural, entre as 11:00 e as 13:00. O programa encerra às 17:30, com o debate “Liberdades e Censuras”, contando com as participações de António José Cruz Mendes, Bárbara Ferreira, José Carlos Vasconcelos, Mariana Ribeiro e Elsa Moura.

Continuar a ler

Arcos de Valdevez

Arcos de Valdevez com quatro Áreas de Reabilitação Urbana com benefícios fiscais

Ermelo, Soajo e Sistelo passam a integrar as ARU

em

Foto: Divulgação / Arquivo

O concelho de Arcos de Valdevez conta, a partir de hoje, com quatro novas Áreas de Reabilitação Urbana (ARU), com diversos benefícios fiscais, como consta dos avisos publicados em Diário da República (DR).

“A partir de hoje os privados podem formalmente usufruir de benefícios para a reabilitação de edifícios devolutos. Por exemplo, o IVA a 6%, reduções no IMI [Imposto Municipal sobre Imóveis] e IMT [Imposto Municipal sobre as Transmissões], nas taxas municipais e no IFRRU – Instrumento Financeiro para a Reabilitação e Revitalização Urbanas”, afirmou hoje à agência Lusa o presidente da Câmara de Arcos de Valdevez, João Manuel Esteves.

As novas ARU abrangem a freguesia de Ermelo, a vila do Soajo e Sistelo, sendo que nesta última aldeia, classificada como Monumento Nacional, aquele instrumento cobre três lugares (Igreja, Padrão e Porta Cova).

“É mais um incentivo à reabilitação de património, à dinamização económica e à fixação de população”, sublinhou o autarca social-democrata.

João Manuel Esteves acrescentou que “aos investimentos dos privados irão somar-se intervenções públicas de cerca de um milhão de euros”.

Em fevereiro, aquando da aprovação das novas ARU pelo executivo municipal, o autarca João Manuel Esteves referiu que em Sistelo “está em curso uma obra financiada pelo programa Valorizar, do Turismo de Portugal, para reabilitação e transformação da antiga Casa Castelo em centro de biodiversidade do Alto Vez”, no valor de 280 mil euros.

“Estão em preparação mais duas candidaturas, com investimento estimado de mais de 250 mil euros, para reabilitar os espigueiros e moinhos da aldeia” de Sistelo, especificou na altura.

Encaixada no fundo de um vale, situado às portas do Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG), a aldeia de Sistelo é considerada “o pequeno Tibete português”.

Já na vila do Soajo, adiantou João Manuel Esteves, “foi apresentada também ao programa Valorizar uma candidatura para arranjo urbanístico do largo do Eiró, do centro etnográfico e para a criação de circuitos temáticos, no valor de meio milhão de euros”.

Esta candidatura aguarda aprovação do programa.

Em Ermelo, aldeia situada junto à margem direita do rio Lima, na serra do Soajo, a cerca de 20 quilómetros da sede de concelho, o município vai reabilitar espaço público após a intervenção, concluída em 2015, do mosteiro local, erguido pelos monges de Cister, Património Nacional desde 1977.

Situada nas proximidades do rio Lima, na margem direita, a igreja do mosteiro beneditino de Ermelo começou a ser recuperada em 21 de março de 2014 e reabriu um ano depois, no mesmo dia, num investimento próximo dos 180 mil euros.

Daquele montante, 70% foi comparticipado por fundos do Novo Norte – Programa Operacional Regional Norte. O restante foi suportado pela paróquia.

Segundo João Manuel Esteves, “os lugares das duas aldeias e da vila do Soajo que agora vão ser alvo de intervenção pública são sítios que possuem património valioso”, onde já foram desenvolvidos projetos no espaço publico.

Com a criação destas ARU, os privados podem aceder à redução do IVA da taxa normal (23%) para a taxa para 6% nas empreitadas de reabilitação urbana; a dedução à coleta de 30% dos encargos suportados pelos proprietários, com um limite de 500 euros; a redução da taxa sobre mais-valias para os 5%; a isenção de IMI, a isenção de IMT; a redução em 50% das taxas relativas a processos de reabilitação de edifícios; e ainda a redução para 5% da taxa relativa aos rendimentos prediais após operação de reabilitação”.

Continuar a ler

Populares